Estudo revela cursos com mais vagas e melhor renda

De acordo com o estudo, que é nacional, as áreas relacionadas às Ciências Agrônomas têm, em média, bolsa-auxílio de R$ 2.076,24

 

Nessa etapa, os alunos das áreas de Agronomia e Economia saem na frente no mercado com as maiores bolsas-salário. Em alguns casos, eles chegam a receber bolsa-auxílio que supera os R$ 2 mil, segundo pesquisa do Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube).

De acordo com o estudo, que é nacional, as áreas relacionadas às Ciências Agrônomas têm, em média, bolsa-auxílio de R$ 2.076,24. Em seguida, aparecem os trabalhos em Ciências Atuariais, com bolsa de R$ 1.645 e, em terceiro, aparecem Economia, com auxílio de R$ 1.601,16.

Para a gerente de treinamento do Nube, Eva Buscoff, o resultado da pesquisa revela uma tendência no mercado. “A área da Agronomia vem crescendo sucessivamente há quatro anos. Já a área econômica se destaca por ser crucial neste período de redução de custos”.

Eva disse que o valor alto da bolsa-auxílio reflete a valorização do estagiário dessas áreas. “É interessante para as empresas contratarem um profissional mais competente, por isso o valor é alto. É um investimento para a empresa”.

Além de definir o ranking das áreas que mais pagam bem, a pesquisa também constatou que a desigualdade de salários entre homens e mulheres começa a ser delimitada logo cedo, durante os estágios.

Enquanto os estagiários do sexo masculino recebem em média, R$ 1.057,65 de bolsa-auxílio, as do sexo feminino recebem R$ 961,10.

De acordo com o Nube, isso acontece, em geral, porque o tipo de carreira escolhida pelos homens, na maioria das vezes, são em áreas como Engenharia e Economia; já as mulheres tendem a optar por carreiras em Humanas que costumam pagar menos.

O estudo também analisou os valores de bolsas para estágios de níveis técnicos, do ensino médio e tecnólogos.

Para elaborar o ranking, o Nube ouviu 25.434 estagiários entre outubro e dezembro do ano passado e constatou que, em média, o salário de um estagiário no Brasil é de R$ 1.125,69.

Guilherme Gomes, Iasmin Silva, Bruna Rust, Wania Kuster, Paula Mombrine e Josiane Souza. (Foto: Antonio Moreira/AT)

Chance para ingressar no mercado

Os estagiários Guilherme Gomes, Iasmin Silva, Bruna Rust, Wania Kuster, Paula Mombrine e Josiane Souza aproveitaram a oportunidade de estágio e já ingressaram no mercado de trabalho.

As áreas em que atuam, Administração e Economia, são as que possuem mais vagas no Estado. No Bandes, por exemplo, os estudantes chegam a receber bolsa de R$ 1.129.

“O estágio é uma ótima oportunidade para aplicar nossos conhecimentos e receber orientação de profissionais”, contou Iasmin Silva, de 22 anos, estudante do 7º período de economia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

Áreas destacadas no Espírito Santo

Pesquisa

O Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube) divulgou um estudo que mostra quais as áreas que pagam as bolsas-auxílio mais altas.

As áreas de agronomia e Economia são as que mais pagam bem. Em média, no Brasil, paga-se

R$ 2.076,24 de bolsa-auxílio para o estudante estagiário de Agronomia. Já para o de Economia, são pagos R$ 1.645.

Oferta de vagas

No Estado, os cursos que mais oferecem oportunidade são os de Administração, Comunicação Social (principalmente a habilitação em Publicidade e Propaganda), Direito, Educação Física, Tecnologia da Informação e Educação Física.

A área de serviços é a que mais oferece oportunidades de estágio hoje, com chances de contratação ao fim do contrato.

Fonte: Nube e especialistas consultados.

Poucos profissionais no Estado

Os dados da pesquisa nacional refletem também a realidade do mercado capixaba, garante o diretor executivo da Heach RH no Estado, Elcio Paulo Teixeira.

Segundo o diretor, “Hoje existem poucos profissionais no Estado formados nessas áreas, por isso está sendo cada vez mais importante para as empresas que elas contratem bons profissionais, desde o estágio”, explicou.

A gestora do núcleo de estágio da Faesa, Marciane Jahring, destaca que, “no curso de Agronomia, o estagiário pode atuar em vários segmentos e hoje 90% dos alunos do curso na faculdade já estão atuando no mercado de trabalho. Muitos deles também trabalham em empresas familiares e acabam por ingressar no mercado de trabalho já a partir do 5º período”, disse.

Já a coordenadora comercial do Centro de Orientação e Encaminhamento Profissional do Estado, (Coep), Rosangela Selga, afirma que, apesar dos cursos de Agronomia e Economia serem os que oferecem as maiores bolsas-auxílio, no Estado os cursos que mais oferecem vagas são os de Administração, Comunicação Social, Educação Física, Tecnologia da Informação e Contabilidade.

“Esse cursos são os que mais possuem abrangência de atuação, além disso, a chegada da Copa ajudou a aumentar a demanda do curso de Educação Física”, informou.

Já segundo a gerente de operações do Centro de Integração Empresa Escola do Estado (Ciee-ES), Valquiria Dadalto, o mercado capixaba demanda hoje de cargos ligados a serviços. “A demanda de oferta de estágio para os cursos de Comunicação Social cresceu bastante nos últimos anos”, disse.

 

Fonte Tribuna Online

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here