Acidente, infarto e AVC: UTIs do ES também estão cheias por outras causas

A pandemia da Covid-19 está em um estágio no Espírito Santo com alta pressão sobre o sistema de saúde, público e particular, com risco iminente de falta de leitos. Paralelamente, a demanda também é elevada para outras enfermidades, tais como Acidente Cerebral Vascular (AVC), infarto, Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e traumas de trânsito, e a taxa de ocupação de UTIs já chegou a 88,45%.

Conforme dados do painel de ocupação de leitos da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), na última segunda-feira (5), o Espírito Santo tem 1.874 leitos para pacientes com a Covid-19, dos quais 1.680 estão ocupados. Consideradas apenas as vagas de UTI, restam apenas 54 do total de 964 ofertadas.

Para as demais enfermidades que exigem internação, há 381 leitos de terapia intensiva, mas 337 já estão com pacientes. Nas enfermarias, o quadro é um pouco melhor, porém não deixa de preocupar: de 1.601 vagas, 1.183 (73,89%) estão sendo utilizadas.

Embora a incidência de alguns destes problemas se mantenha estável independentemente da pandemia, como infarto e derrame, outros podem ter uma redução significativa com a menor circulação de pessoas nas ruas. É o caso dos acidentes que frequentemente demandam leitos por um período mais longo.

Assim, o isolamento social no Estado, devido aos indicadores elevados de transmissão e mortes decorrentes da Covid-19, é uma medida que pode contribuir para desafogar o sistema de saúde, se for rigorosamente cumprido, e atender não apenas quem está infectado pelo novo coronavírus, mas também pacientes de outras doenças.

Fonte: A Gazeta

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here