Acidentes de moto geram custo mensal de mais R$ 11 mil a hospitais no Estado

Uma triste realidade no trânsito na Região Metropolitana do Estado: em 15 anos, os acidentes envolvendo motos aumentaram 42%, de acordo com o relatório de mortes de motociclistas no Estado, divulgado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp). Também de acordo com o relatório, nos municípios do interior do Estado, no mesmo período, os casos aumentaram 377%.

Números significantes e que vão muito além dos cruzamentos de vias na Região Metropolitana da Grande Vitória e das rodovias estaduais em municípios do interior do Estado, o aumento dos acidentes evolvendo motociclistas geram diretamente custos sociais e econômicos muito grandes ao Estado.

Segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde do Espirito Santo (Sesa), os pacientes vítimas de acidentes de trânsito representam um grande custo para os Estados, em todo país. Além dos gastos com internação, também são contabilizados recursos pré-hospitalares, como remoção do SAMU 192, e pós-hospitalares, como a reabilitação física.

Quanto custa?

Neste ano no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, localizado no município da Serra, que é líder em acidentes com motos no estado, já foram atendidos 1.758 pacientes vítimas de acidentes envolvendo motocicletas. Sendo que a média de atendimento de acidentados por moto é de 400 pacientes por mês, o que gera um custo, de aproximadamente R$ 11 mil, podendo chegar até R$ 19 mil em casos de reinternação, por paciente.

A Sesp ressalta que o valor informado, de R$ 11 mil, é somente para a internação do paciente vitima de acidente com moto, o que não envolve recursos pré-hospitalares, como remoção do SAMU 192, e pós-hospitalares, como a reabilitação física. Ou seja, o custo de todo o processo é ainda maior, podendo variar depende do tempo em que o paciente permanece no hospital, o que pode levar até 6 meses.

Números totais

Ainda de acordo com a Sesa, hoje o Estado contabiliza uma média de R$ 11 mil por pacientes vítimas de acidentes de trânsito nos hospitais públicos. Sendo que, em 2018, o SAMU 192 realizou atendimento a 11.382 vítimas de acidentes de trânsito no Estado, sendo 6.615 envolvendo motociclistas. Já neste ano, até o momento, foram 5.151 atendimentos a acidentes de trânsito. Sendo que mais da metade, 3.138 casos, envolveram moto.

Onde ocorrem?

Quando se pensa em acidentes de trânsito, Regiões Metropolitanas são as primeiras que vem em mente. Porém, no caso do Espirito Santo, o maior taxa de acidentes fatais envolvendo motos, que é de aproximadamente 78%, ocorre nos interior do Estado, de acordo com o relatório de mortes de motociclistas no Estado, divulgado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SESP). Sendo que, também de acordo com o relatório, não há pontos significativos de concentração, os casos ocorrerem de modo pulverizado, especialmente em Rodovias Estaduais do Interior do Estado.

Um dado também apresentado no relatório e que chama atenção, é o alto índice de acidentes caracterizados por queda de moto ou choque com ponto fixo (placas, poste, árvores, contenções e outros), que de acordo com informações analisadas do ano de 2018 representam 36% dos acidentes fatais com motociclistas.

Perfil jovem

O relatório de mortes de motociclistas no Estado, divulgado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SESP), também aponta com base em análises por amostragens das descrições das ocorrências. Sendo que é ressaltado, a não localização de ponto específico de concentração de acidentes fatais com motociclistas.

O relatório ainda aponta que os acidentes ocorrem preferencialmente nos finais de semana e nos horários noturnos, com ápice a meia noite. Já o perfil de quem sofre acidente com motos, em sua maioria, é do sexo masculino, com estado civil solteiro, de cor parda e com idade entre 17 e 25 anos, o que mostra uma grande preocupação pela potencialização de imprudência e imperícia do perfil jovem, que se arrisca mais.

Fonte: ES HOJE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here