Após seca total, chuvas mudam cenário de reservatório em Marilândia

As chuvas de dezembro mudaram de vez a imagem de extrema seca que atingia o reservatório que tem capacidade de 300 milhões de litros de água.

Após um período de extrema seca, o reservatório de Marilândia, conhecido como “Lagoa da Saae”, voltou a operar com 100% da capacidade graças às chuvas dos últimos meses. O antes e o depois do local impressionam. Veja abaixo:

Março de 2016
Dezembro de 2017

Em março de 2016, o reservatório, que pertence ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), estava completamente seco, e os moradores enfrentaram racionamento durante três anos. Em uma realidade surpreendente, a represa conta com 300 milhões de litros de água, que é a capacidade total.

Sem acreditar, o aposentado Ernesto Antônio de Souza disse que passou pelo local só para conferir se a lagoa estava realmente estava cheia. “Falaram até que ela estava começando a vazar por cima de tanta água. E eu falei: vou lá ver para crer, né?”, brincou.

O diretor do Saae, Globes Antônio de Souza, disse que ninguém acreditava mesmo na recuperação da lagoa. “O povo não acreditava e agora veem isso aqui. Deus fez a parte dele e agora vamos fazer a nossa, usando com consciência”.

A desconfiança tinha motivo. O último racionamento na cidade foi em abril deste ano e durou 20 dias. A aposentada Antônia Cazoti Venturim disse que foi um período difícil. “Tinha que comprar água para beber e, quando chegava à torneira, ninguém mexia e usava só para tomar banho”, disse.

As chuvas em meados de 2017 amenizaram a situação do reservatório, mas foram as de dezembro que fizeram realmente a diferença no nível da lagoa, visto que choveu mais que dobro do registrado em todo o mês de dezembro do ano passado.

A água do reservatório dará para abastecer o município durante um ano no período de seca, segundo o Saae, porque, atualmente, a utilizada é captada dos rios da região. (Com informações de Alessandro Bacheti, da TV Gazeta Noroeste)

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here