Aumento de casos de gripe e de covid-19 afetam funcionamento de setores da economia no ES

Os casos de gripe e de covid-19 têm deixado muitas pessoas doente e, com isso, o número de funcionários afastados do trabalho tem crescido e afetado o funcionamento de diversos setores da economia.

A gerente operacional de uma empresa de transporte exclusiva para mulheres, Cecília Mancuso, conta que as operações começariam nesta quarta-feira (19), em Vila Velha, mas metade das 200 motoristas testaram positivo para a covid-19 e foi preciso adiar o início para a próxima semana.

“Nós precisamos fazer algumas modificações na agenda, precisamos comunicar as motoristas, fazer reuniões de última hora explicando ocorrido e mandando mensagens para a população de Vila Velha, que tem um número alto de passageiras cadastradas”, disse.

O salão de beleza da Lindalva Dias precisou ficar vazio por uma semana. Ela e os funcionários ficaram gripados e precisaram se afastar dos postos de trabalho. Nesse período sem atender ninguém, a prestadora de serviço tem um grande prejuízo para as contas do fim do mês. “Foi um transtorno, um prejuízo de cerca de R$ 8 a 10 mil, nessa faixa”.

Outros setores têm sentido o impacto dos afastamentos por causa da crescente onda de novos casos de covid-19 e da epidemia de gripe. De acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Espírito Santo de 10 a 15% dos funcionários do setor estão afastados por gripe ou covid-19. Apenas na área de supermercados, são 500 pessoas em casa, segundo a Associação Capixaba de Supermercados (Acaps).

A orientação das entidades é para que os protocolos sejam seguidos para diminuir a contaminação e os funcionários sejam afastados quando apresentarem sintomas.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Restaurantes, Bares e Similares do Espírito Santo (Sindbares), Rodrigo Vervloet, os bares e restaurantes também têm sofrido as consequências dos afastamentos.

“Nós temos percebido um aumento no número de atestado no nosso setor desde meados de dezembro do ano passado, a grande maioria pela nova gripe. Isso tem dificultado nossa operação principalmente nesse momento, final e início de ano e verão, quando a demanda aumenta muito no Estado”, ressaltou.

Além dos setores de comércio e serviços, a aviação também foi prejudicada. Em todo país, a Latam teve 33 voos cancelados nesta quarta-feira (19). A companhia Azul disse que teve voos que precisaram ser reprogramados em janeiro por conta das baixas de funcionários afastados.

Pelo menos cinco voos já foram cancelados no Aeroporto de Vitória na semana passada por conta de falta de comissários devido aos afastamentos. Diante do cenário que o país enfrenta, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decidiu autorizar que as companhias aéreas reduzam comissários até março.

Fonte: Folha Vitória

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here