Auxílio não funcionará se inflação “comer” poder aquisitivo, diz economista

Auxílio não funcionará se inflação “comer” poder aquisitivo, diz economista. Foto: Kay Nietfel

A aprovação da PEC dos Precatórios — que muda teto de gastos e abre espaço de R$ 83 bilhões –, gerou bastante repercussão no mercado devido a possíveis consequências na economia. Um dos efeitos que mais preocupam é na inflação. Para a economista Tatiana Pinheiro, o Auxílio Brasil não funcionará como o desejado pelo governo, se a alta dos preços corroer o poder aquisitivo dos mais pobres.
 
“A grande discussão de hoje é a inflação, que está extremamente alta, e que impacta justamente na classe baixa, que é mais suscetível ao aumento dos preços. Aumentar o valor da transferência de renda, com o Auxílio Brasil, não vai adiantar se você tem a inflação que vai comer esse poder aquisitivo”, afirmou Tatiana.
 
A economista ainda reforçou que, apesar do debate fiscal parecer muito distante da realidade das pessoas, ele afeta de forma direta o poder aquisitivo da população.
 
“O orçamento é bastante amplo, e há espaço para debate de como alocar esse dinheiro. O debate fiscal parece muito distante da realidade de quem precisa se alimentar, mas não é. A expansão da política fiscal sem um alinhamento melhor tem uma grande probabilidade de manter a inflação alta e, desta forma, pessoas de rendas mais baixas são as que mais sofrem”, afirmou a economista.
Fonte: Em Dia ES
Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here