É campeão! Brasil vence EUA por dois centésimos e leva o título mundial do revezamento 4x100m

O estádio de Yokohama, no Japão, tem uma ligação muito forte com o Brasil. Ali, em 2002, o país conquistou o pentacampeonato de futebol, comandados por Ronaldo e Rivaldo. Neste domingo, no mesmo local, o revezamento 4x100m do Brasil conquistou o título do Campeonato Mundial de revezamentos, ao terminar a prova com 38s05, apenas dois centésimos na frente do quarteto americano. Os britânicos anotaram 38s15 e ficaram na terceira posição.

Além do título, Rodrigo Nascimento, Derick Silva, Jorge Vides e Paulo André fizeram a melhor marca do ano no mundo na temporada. Importante lembrar que, no revezamento americano estava presente o atual campeão mundial dos 100m rasos, Justin Gatlin.

– A gente conseguiu ser campeão mundial e ninguém tira isso da gente – disse Paulo André, atleta mais rápido do Brasil na atualidade e que fechou o revezamento neste domingo.

– Foi uma prova boa, acertamos os detalhes que faltavam, e agora é focar em correr a prova individual mais baixo, para conseguirmos melhorar ainda mais nos revezamentos – disse Rodrigo.

O resultado é histórico para o quarteto brasileiro, que tem uma ótima tradição. O time foi prata na Olimpíada de Sydney 2000, bronze nos Jogos de Atlanta 1996 e de Pequim 2008. Ainda foi ao pódio em Campeonatos Mundiais em algumas oportunidades, mas, pela primeira vez, conquistou uma competição desta magnitude. É o terceiro melhor tempo da história do país na prova, pior apenas que o que rendeu a prata em Sydney 2000 (37s90) e que a quarta posição do Mundial de 2007 (37s99).

Outras provas
As americanas venceram o revezamento 4x100m com o tempo de 43s27, apenas dois centésimos na frente da Jamaica. A Alemanha anotou 43s68 para ser terceira colocada. As brasileiras Ana Carolina Azevedo, Lorraine Martins, Franciela Krasucki e Vitória Rosa fizeram 43s75 e fecharam em quarto lugar. Vitória Rosa pegou o bastão de Franciela em quinto lugar e quase conseguiu ganhar a posição das alemãs nos últimos metros.

– A gente fica triste porque o quarto lugar dói, mas tivemos problemas com as passagens. É uma equipe nova, mas temos muito o que evoluir. Estamos muito satisfeitas, a sensação é de missão cumprida, mas também de quero mais – disse Franciela.

Na prova mista do 4x400m, que vai entrar no programa olímpico pela primeira vez em Tóquio 2020, o Brasil fechou na sexta posição com a marca de 3m20s71. O título ficou com os americanos, seguido pelos canadenses e quenianos. Lucas Carvalho começou bem pelo o Brasil, passando em quinto lugar, e, na sequência, Tiffani Marinho colocou o país em terceiro. Cristiane Silva foi a terceira a entrar em ação, mas perdeu um pouco de rendimento, entregando em sexto lugar para Alexander Russo, que conseguiu recuperar um pouco e deixou o país em quinto.

– Nossa expectativa era outra, mas acontece, mas estamos muito felizes por estar aqui. Não temos o que reclamar não – disse Tiffani.

No 4x400m, duas surpresas. Entre as mulheres, o quarteto polonês conquistou a medalha de ouro, deixando os Estados Unidos em segundo lugar. No masculino, Trinidad & Tobago levou o título, deixando os americanos para trás. Minutos depois da chegada, a organização confirmou a desclassificação dos Estados Unidos.

Fonte: GE

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.