Estados Unidos alertam sobre ‘alarmante’ falta de chips no país

Secretária de Comércio dos Estados Unidos, Gina Raimondo Foto: EFE/EPA/Ken Cedeno / POOL

Nesta terça-feira (25), a secretária de Comércio dos Estados Unidos, Gina Raimondo, chamou a atenção para a “alarmante” falta de chips no país, que poderia obrigar o fechamento de fábricas, caso ocorra um aumento dos contágios de coronavírus, um desastre natural ou instabilidade política em outro país.

– A situação em que nos encontramos como país é alarmante e precisamos tomar medidas urgentes para aumentar a nossa capacidade interna – disse Raimondo.

Na ocasião, ela apresentou o relatório Riscos na Cadeia de Abastecimento de Semicondutores.

O estudo concluiu que os fabricantes de automóveis e dispositivos médicos, entre outros, passaram de um estoque de microchips suficiente para produzir durante 40 dias, em 2019, a um estoque suficiente para continuar a produção por apenas cinco dias, em 2021.

Esta queda drástica das reservas significa que qualquer perturbação na cadeia de abastecimento pode ter consequências graves para a produção nos EUA, especialmente quando grande parte da mesma se encontra fora do país.

– A cadeia de abastecimento de semicondutores continua frágil, e é essencial que o Congresso aprove o financiamento para a produção de chips o mais rapidamente possível – analisou.

Raimondo tentava ganhar apoio do Congresso ao plano proposto pelo presidente Joe Biden, no valor de 52 bilhões (R$ 281 bilhões), para incentivar as empresas a construir fábricas de semicondutores em solo americano.

O relatório concluiu que a procura de semicondutores em 2021 era 17% maior do que em 2019 e que a maioria das fábricas de microchips estão operando com 90% da sua capacidade ou acima.

Na última sexta-feira (21), Biden fez um discurso sobre semicondutores por causa do anúncio da Intel de um investimento de 20 bilhões de dólares (R$ 108 bilhões) em duas fábricas de chips em Ohio, um dos maiores investimentos em semicondutores da história do país.

A escassez de semicondutores, essencial na fabricação de smartphones, veículos e equipamentos médicos, tem sido persistente durante a pandemia e dificultado os esforços do governo de Biden para relançar a economia. Além disso, a falta de chips para produzir automóveis fez subir os preços dos veículos, em meio à inflação dos últimos meses nos EUA.

Fonte: Pleno News

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here