EXEMPLO AFRICANO MOSTRA A IMPORTÂNCIA DAS CAMPANHAS DE VACINAÇÃO DE ANIMAIS

Nesta semana, publicamos a lista dos animais mais “assassinos” do planeta. Surpreendentemente, os cachorros ficaram em quarto lugar no ranking, mas não pense que é por conta de ataques: acontece que eles são os principais transmissores da raiva, uma doença que mata mais de 35 a 50 mil pessoas por ano, principalmente na África e na Ásia.

Nesses continentes, as campanhas de imunização dos animais quase não existem. Por conta disso, a transmissão do vírus acaba sendo mais fácil. Porém, seria muito mais fácil e menos dispendioso investir na prevenção da doença do que na cura dos infectados.

PUBLICIDADE

Stephen Luntz, do site IFLScience, conta os resultados de uma intensa campanha de vacinação ocorrido em N’Djamena, a capital do Chade. Ainda que “apenas” 71% dos cachorros tenham sido vacinados entre 2012 e 2013, a incidência da raiva caiu drasticamente nos anos seguinte. Em 2014, cachorros com raiva diminuíram em 95%. Já a quantidade de humanos infectados caiu impressionantes 99,8%!

raivaRaiva mata até 50 mil pessoas, sendo que 99% delas foram infectadas por mordidas caninas

“Alcançar uma cobertura suficiente para interromper a transmissão do vírus da raiva do cão e prevenir a reintrodução requer uma compreensão aprofundada da ecologia do cão, das interações cão-homem e dos determinantes sociais e culturais da aceitação da vacina”, analisou o professor Jakob Zinsstag, da Universidade de Basileia, na Suíça, que junto com outros cientistas de seu país e do Chade estiverem por trás do experimento africano.

O sucesso da campanha em N’Djamena prova que, mesmo que não seja plausível vacinar todos os animais de uma região, é possível reduzir a mortalidade humana radicalmente! A experiência também pode mostrar que outras doenças transmitidas pelos animais poderiam ter uma abordagem semelhante.

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here