Igreja Luterana leva música para pacientes e colaboradores do hospital Rio Doce

Todas as terças-feiras, por volta das 15h, o silêncio nos corredores do hospital Rio Doce é quebrado pelo som de vozes e violão. Trata-se do projeto Música no Hospital, idealizado pelo serviço Social e mantido por membros da igreja Luterana de Linhares. Eles passam por vários setores do hospital cantando músicas religiosas que transmitem força e esperança aos pacientes internados.
A coordenadora do Serviço Social Carolina Lavigne Castello Branco Moreira, fala da iniciativa. “A música ajuda os pacientes no alivio das tensões e favorece o convívio social. Do ponto de vista terapêutico, serve como coadjuvante para minimizar as dificuldades geradas pela hospitalização, além de tornar o ambiente hospitalar mais agradável para pacientes e acompanhantes”, declara Carolina.
Esse é o caso da copeira Rita Gomes. Acompanhando a filha que passava por uma cirurgia, ela disse que achou o momento muito válido. “Me senti muito bem quando ouvi, achei muito válido. Faz bem nesse momento de espera e ansiedade”, destaca Rita.
Essa também é a opinião da dona Maria dos Santos Oliveira, 66 anos, moradora do bairro Nova Esperança. Internada há oito dias, depois de passar por uma cirurgia, ela se emocionou e diz que a músico veio em boa hora. “Foi um alívio para minha alma ouvir a música, me emocionei quando ouvi. É um momento de conforto, limpa a alma da gente, ajuda fortalecer e da força”, explica dona Maria.
E ela tem razão. A Psicóloga do hospital Sara Rapina explica que a música tem o poder de ajudar nos momentos difíceis como os problemas de saúde. “A música estimula a memória e o contato com a realidade. Os sons, instrumentos musicais e a voz, contribuem para alivio da dor, ansiedade, fadiga, estresse, e melhora o humor das pessoas hospitalizadas”, salienta a profissional.
Katicilene canci de Souza, Enfermeira coordenadora da enfermaria SUS, confirma o que diz Sara na prática. “Esses momentos são muito valiosos. No ambiente hospitalar muitas das vezes, as pessoas que aí se encontram por motivo de doença, estão muito fragilizada, e essa abordagem os deixam mais esperançosos, o que contribuem para uma melhora mais rápida do paciente”, salienta a enfermeira. Katicilene disse ainda que o momento é maravilho também para os profissionais que lidam com situações de dor e sofrimento todos os dias.
FONTE: FOLHA VITORIA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here