Mulheres denunciam novos casos de assédio de médico preso após beijar jovem à força no ES

Outras duas vítimas do médico cardiologista que tentou beijar à força uma jovem de 18 anos, no final de semana, denunciaram novos casos de importunação sexual para a polícia nesta terça-feira (28). O médico chegou a ser preso pelo primeiro caso divulgado, mas foi liberado em uma audiência de custódia no domingo (26).

Um dos novos casos denunciados é de uma empresária de 42 anos. Ela disse que o cardiologista cuidava do marido dela há anos até que, em uma consulta dela na Páscoa de 2017, foi vítima dele.

A empresária disse que contou para a família o que havia acontecido, mas que não acreditaram.

Outras duas vítimas do médico cardiologista que tentou beijar à força uma jovem de 18 anos, no final de semana, denunciaram novos casos de importunação sexual para a polícia nesta terça-feira (28). O médico chegou a ser preso pelo primeiro caso divulgado, mas foi liberado em uma audiência de custódia no domingo (26).

Um dos novos casos denunciados é de uma empresária de 42 anos. Ela disse que o cardiologista cuidava do marido dela há anos até que, em uma consulta dela na Páscoa de 2017, foi vítima dele.

A empresária disse que contou para a família o que havia acontecido, mas que não acreditaram.

“Ele me atendeu normal e quando eu estava indo embora, ele me perguntou: eu posso te dar um abraço de Páscoa?”. Eu disse “lógico”, sem ver maldade nenhuma. Quando eu abracei ele, ele me empurrou na parede, passando a mão e me beijando. Eu fiquei travada e não sabia o que fazer, porque eu entrei em pânico. Quando eu saí, caminhei até o meu carro e comecei a chorar, pensando no que tinha acontecido”, relatou a empresária.

Quando chegou em casa, a empresária contou o que tinha acontecido para a sogra e para o marido.

“Ela ficou horrorizada, mas não acreditou. Meu esposo também não acreditou e ficou sem falar comigo por uma semana”.

Uma outra vítima também denunciou o cardiologista. Foi a filha dela que relatou o caso para a TV Gazeta.

“Logo no início da consulta, ela explicou o que estava acontecendo e disse que achava que estava com alguma hemorragia. Imediatamente, ele agarrou ela por trás e tentou tirar o absorvente dela. A secretária viu e disse que ia sair para preparar soro. Assim que ela saiu, ele voltou a agarrar ela e forçar beijo. Quando ela voltou com os exames, ele fez pior com ela. Ele fez pior”, revelou a filha.

Primeira denúncia

No último sábado (25), o médico foi denunciado e preso depois de beijar à força uma paciente de 18 anos, dentro de um hospital particular do Ibes, em Vila Velha. De acordo com relato da mãe à Polícia Militar, o profissional beijou o rosto da garota durante uma consulta médica.

A menina ainda está assustada e de acordo com o pai dela, a família não quer mais falar sobre o assunto.

Prisão

O médico atua como cardiologista e também atende no pronto-socorro do hospital. Ele foi preso no final de semana por importunação sexual. No domingo (26), ele passou por uma audiência de custódia e foi liberado no mesmo dia.

CRM-ES

O Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES) informou que a denúncia de assédio noticiada na imprensa local será apurada. Em nota, o Conselho disse que já está tentando reunir informações suficientes para dar início a uma sindicância.

O CRM-ES esclareceu que não divulga informações de denúncias anteriores.

FONTE: G1 ES

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here