O que Stephen Hawking dizia sobre quem acredita em astrologia?

Se você quiser ter uma boa discussão de família neste domingo, basta soltar na sala de estar que não acredita em astrologia, horóscopo ou afins. Mas a crença em signos, muito popular entre brasileiros e outras culturas, não era compartilhada, por exemplo, pelo físico britânico Stephen Hawking, um dos mais proeminentes cientistas das últimas décadas.

Em seu livro ‘O Universo Numa Casca de Noz’, Stephen Hawking tece críticas à teoria que diz que a posição de planetas pode influenciar em acontecimentos nas vidas das pessoas aqui na Terra. Mas, claro, sempre com muito cuidado – e ao lado dos dados científicos que indicam que a astrologia não faz sentido.

Para Hawking, parte dessa crença na astrologia ocorre porque “a espécie humana sempre quis controlar o futuro”. E isso é compartilhado até por cientistas que buscam formas de entender o futuro antes que ele aconteça, mesmo que por meio de outras teorias mais baseadas em fatos.

A astrologia afirma que os eventos da Terra estão relacionados aos movimentos dos planetas no céu. O britânico aponta que essa hipótese poderia ser cientificamente testável, mas só não é porque astrólogos muitas vezes não fazem previsões conclusivas.

Bastante ajuizadamente, seus prognósticos são tão vagos que podem ser aplicados a qualquer resultado. É impossível testar e afirmar o erro de afirmações como ‘as relações pessoais devem ficar intensas’ ou ‘você vai ter uma oportunidade financeira recompensadora’
Stephen Hawking

Outras teorias inviabilizam a astrologia

O físico e cosmologista, contudo, vai além e diz que o “motivo real para a maioria dos cientistas duvidar da astrologia não é a evidência científica, ou a falta dela, mas o fato da astrologia não ser consistente com outras teorias que foram testadas pela experimentação”.

Para Hawking, quando Copérnico, Galileu e outros cientistas descobriram que os planetas orbitam o Sol, não a Terra, e Newton descobriu as leis que governam seus movimentos, a astrologia se tornou “extremamente implausível”.

Por que as posições dos demais planetas contra o fundo celeste, tal como visto da Terra, teriam qualquer correlação com as macromoléculas de um planeta menor que se autodenominam vida inteligente?
Stephen Hawking

Mas é bom um alento para quem acredita em astrologia e não arreda o pé de acompanhar seu horóscopo: o próprio Hawking lembra que “é verdade que não há mais evidência experimental para algumas das teorias descritas neste livro [‘O Universo Numa Casca de Noz’] do que há para a astrologia”. Mesmo assim, complementa que cientistas acreditam nessas outras teorias porque apresentam consistências com as teorias já provadas.

O que diz a astrologia

Para a astrologia, a posição dos corpos celestes no céu pode exercer diferentes influências sobre os humanos, seja a personalidade, relações ou até do que vai acontecer na vida das pessoas. Os registros mais antigos da crença na astrologia datam do terceiro milênio a.C., sendo que a teoria teve um papel grande na formação de culturas e até influenciou a astronomia antiga – de fato, ambas caminhavam juntas até poucos séculos atrás.

Por nenhum estudo até hoje ter comprovado a eficácia da astrologia para descrever personalidades ou fazer previsões, ela é considerada por muitos da comunidade científica como uma superstição ou pseudociência. A defesa da astrologia à falta de provas e às contestações, muitas vezes, envolve dizer que o uso do céu é apenas simbólico.

Além disso, algumas pessoas que acreditam em astrologia costumam defender a holística por trás da teoria, com a influência de forças e energias no universo sobre a vida das pessoas.

Fonte: UOL

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here