Observação de baleias atrai interessados e movimenta a economia no ES

Com a promessa de promover uma experiência incrível em alto mar, o setor de observação de baleias Jubarte tem atraído interessados e movimentado a economia no Espírito Santo. Só em 2018, o setor faturou R$ 900 mil. Este ano, as baleias chegaram mais cedo ao litoral capixaba e, com elas, trouxeram expectativa de uma rentabilidade ainda maior, além de belos saltos diante dos olhos dos visitantes.

Geralmente, as baleias começam a migrar no mês de maio, nadando cerca de 4.000 km na rota estabelecida no Atlântico Sul, em direção às águas quentes do Banco dos Abrolhos, localizado entre o Espírito Santo e a Bahia, para reprodução. Mas, esse ano, relatos em diferentes locais apontavam um possível início precoce desse processo.

Baleias Jubarte são vistas no litoral do Espírito Santo em maio — Foto: Divulgação/ Amigos da Jubarte

Baleias Jubarte são vistas no litoral do Espírito Santo em maio — Foto: Divulgação/ Amigos da Jubarte

“Elas migram da Antártida, que é a área de alimentação delas, e vem para cá, para as águas mais quentes dos trópicos, para se reproduzirem e amamentarem os filhotes. Então as baleias, na sua grande maioria, são brasileiras, principalmente capixabas e baianas”, explicou o diretor do Projeto Baleia Jubarte, Enrico Marco Valdi.

Os animais que passam pela costa capixaba chegam a medir 16 metros de comprimento e a pesar até 40 toneladas. Só em 2018, mais de 20 mil baleias jubarte passaram pelo litoral do Espírito Santo entre os meses de maio e novembro.

Esse comportamento movimenta a economia e gera oportunidade para o turismo de observação natural. No ano passado, mais de 800 turistas saíram de Vitória pra ver as baleias, e a expectativa é que esse número seja ainda maior este ano.

“A expectativa esse ano é que seja mais de mil turistas. O trabalho de observação de baleias é super importante porque agrega valor econômico às baleias. E aqui existe um potencial muito grande para essa atividade”, disse Enrico Marco Valdi.

Esse tipo de turismo pode gerar uma renda de quase R$ 900 mil reais por ano e mais de 30 empregos diretos a cada temporada. “Nós acreditamos muito no potencial de Vitória, principalmente por ser uma grande capital e próxima as maiores capitais do país”, disse Eduardo Camargo, presidente do Instituto Baleia Jubarte.

Empresário do setor de ecoturismo, Felipe Buloto, decidiu apostar no setor. “Nós trabalhamos com baleias já há alguns anos em Abrolhos. Desde 2017, quando começou a atividade aqui no Espírito Santo, nós viemos para cá. Fizemos alguns testes aqui. Vitória tem um potencial incrível, é uma ilha, tem uma cultura toda voltada para o mar e a concentração de baleias Jubarte é muito grande, é muito fácil ver baleia aqui”, disse.

Os interessados podem entrar em contato com o Projeto Baleia Jubarte ou com o Amigos da Jubarte e acompanhar as informações no site www.queroverbaleia.com.

Fonte: G1

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here