Pais acusados de matar o filho de 5 anos no interior do ES são inocentados pela Justiça

Um casal acusado de matar o filho de 5 anos em Dores do Rio Preto, na região do Caparaó, foi inocentado pelo Justiça. Adeildo Souza da Silva e Luane Monique de Moura Silva respondiam por homicídio qualificado e tortura de Arthur Moura da Silva, que morreu em 2018.

O casal foi a júri popular e, por unanimidade, foram absolvidos do crime. Os advogados de defesa que representam o casal foram procurados pela reportagem e, por nota, afirmaram que a Justiça foi feita após dois anos e seis meses. Eles reafirmaram, ainda, que os réus foram acusados injustamente.

O Ministério Público do Estado afirmou que a prisão foi um equívoco. Durante o julgamento, ficou provado que a criança morreu em decorrência de uma meningite, fato comprovado por laudos médicos.

Relembre o caso
Arthur morava com a família no município de Dores do Rio Preto, na região do Caparaó. Ele morreu em agosto de 2018 após dar entrada no Pronto-Socorro de Guaçuí com diversos hematomas pelo corpo.

Segundo a polícia, o pai da criança teria confessado que agredido o filho, alegando que “ouvia vozes” que o mandavam fazer aquilo. Entretanto, a Polícia Civil concluiu que as lesões corporais que o menino apresentava, ao dar entrada no pronto-socorro, não foram a causa determinante da morte da criança.

No dia em que morreu, Arthur foi levado para um centro espírita, onde foi feita uma oração espiritual na criança. Em seguida, a criança começou a passar mal e foi levada para o pronto-socorro para receber atendimento médico.

A mãe do menino teria participado da morte do menino. Adeildo e Luane foram presos acusados de homicídio qualificado e tortura.

Fonte: Folha Vitória

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here