Prefeito de Alegre-ES alerta em carta que Hospital do Município pode fechar

O prefeito de Alegre-ES, José Guilherme Gonçalves Aguilar, chegou ao desespero em escrever carta para alertar que o Hospital Casa de Caridade São José pode fechar se depender da Prefeitura que, segundo ele, não tem recursos financeiros e nem técnicos para mantê-lo.

O prefeito de Alegre-se, José Guilherme Aguilar (PSDB), ao receber notificação do Ministério Público para manter o Hospital Casa de Caridade São José funcionando como responsável direto, não se conteve em enviar carta à direção da instituição para narrar os fatos e denunciar situações envolvendo a causa do problema.

Aguilar narra que mantém sob intervenção administrativa desde 2018 o hospital, acordado em período de seis meses, já vencidos. “Em 2014 a Vigilância Sanitária Estadual fez uma inspeção no Hospital e detectou uma série de irregularidades que colocavam em risco o atendimento aos alegrenses. Esta notificação da Vigilância Sanitária Estadual foi “ENGAVETADA” e nada foi feito para corrigir os erros”, frisa.

Vai mais além o prefeito: “Em 2017 a Vigilância Sanitária Estadual voltou a inspecionar o Hospital e verificou que nada do que havia sido notificado fora feito para corrigir as deficiências encontradas. Em razão desta negligência por parte da Administração passada a Vigilância Sanitária Estadual promoveu a interdição da SALA CIRÚRGICA, MATERNIDADE, CENTRO DE MATERIAIS ESTERILIZADOS (CME), praticamente “fechando” as atividades do único Hospital de Alegre”.

– No mês passado – narra o prefeito Aguilar na sua carta – , recebemos do Promotor de Justiça, Dr. Matheus Leme Novaes, uma notificação recomendatória, acompanhada de um relatório técnico produzido pelo Ministério Público, determinando que o Chefe do Executivo Municipal e ao Secretário Municipal de Saúde e Saneamento, Dr. Adalberto Louzada, adotássemos providências urgentes relacionadas a regularização dos serviços, apontadas no relatório.

Continua: “Porém, o município não possui condições de implementar todas as providências determinadas, uma vez que não possuímos recursos financeiros e nem pessoal técnico que atenda todas as exigências. Tudo que esteve ao nosso alcance para solucionar esta CALAMITOSA situação foi feito.”

Em acordo com o Ministério Público, “prorrogamos o prazo da Intervenção para o próximo dia 6 de março de 2019, com o intuito de não deixar que os serviços prestados a nossa comunidade sejam paralisados, como também, buscamos juntos uma solução que resolva todas as exigências apontadas.”

Por fim, ao final da carta, o prefeito se coloca resignado para continuar tentando colaborar com a abertura do Hospital de Alegre, programando reunião para o dia 13 com autoridades competentes, mas avisa que somente a intervenção do Governo do Estado haverá solução definitiva.

LEIA A CARTA NA ÍNTEGRA. CLIQUE AQUI:

Fonte: folhadoes.com

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here