Sede do Pros, no DF, sofre tentativa de invasão com uso de helicóptero

A sede do Pros, no Lago Sul, em Brasília, sofreu uma tentativa de invasão com uso de um helicóptero neste sábado (25), de acordo com informações do corpo de seguranças do local. Além disso, funcionários que prestam serviço para a legenda relatam que homens armados tentaram acessar o local por terra ao mesmo tempo em que a aeronave pousava em uma área verde próxima ao imóvel utilizado para as atividades partidárias.

Um vídeo, no qual o Correio teve acesso com exclusividade, mostra a aeronave pousando em uma área verde, localizada nas proximidades do Pros. Uma ocorrência sobre o caso foi registrada na 10ª Delegacia de Polícia Civil do Distrito Federal. No boletim, os seguranças afirmam que dois homens estavam dentro do helicóptero, mas diante da presença dos vigilantes, desistiram da ação e decolaram.

 

Outros dois homens, a pé, teriam tentado acessar o imóvel pela parte da frente e um deles teria usado uma arma de fogo para intimidar os presentes. Atualmente, o Pros é gerido por uma Executiva Nacional Provisória, criada para ocupar a direção até que ocorra uma nova eleição. O presidente da comitiva é Marcus Vinicius Chaves de Holanda. Ele ocupa o lugar do ex-presidente da sigla, Eurípedes Júnior.

A Executiva Nacional do Pros decidiu destituir Eurípedes do cargo de presidente da legenda e suspender a sua filiação provisoriamente no começo deste mês. No entanto, seus advogados alegam que a remoção dele do posto não tem validade legal. Ele ingressou com um pedido de reintegração de posse na Justiça e aguarda análise da solicitação. Procurado pela reportagem, Eurípedes negou qualquer envolvimento com o fato ocorrido pela manhã. A assessoria de imprensa da Executiva Nacional da sigla confirmou a tentativa de invasão.

Para remover Eurípedes do Cargo, a Executiva alegou que o ex-dirigente cometeu “diversas infrações disciplinares, especialmente por desviar recursos partidários e negociar a legenda em evidente prejuízo do partido e para auferir vantagens financeiras e pessoais”. As informações estão registradas na certidão de suspensão. A filiação dele à legenda foi anulada por três meses.

Ainda no cargo, ele foi alvo de uma série de reportagens do Correio em 2017. Na época, ele foi acusado de utilizar o dinheiro público para a compra de um helicóptero, mansões, um avião bimotor e de contratar funcionários terceirizados por meio de empresas de parentes com o dinheiro público. Ao menos quatro denúncias contra Eurípedes foram apresentadas pelo Ministério Público Federal (MPF). Uma delas se refere a aeronave, da fabricante Robinson, modelo R-66, prefixo PP-CHF, avaliado em R$ 2,8 milhões, que era utilizado para os deslocamentos do ex-vereador da cidade de Planaltina de Goiás, local onde o Pros foi fundado, até a sede no Lago Sul.

Em 2018, Eurípedes foi alvo da Polícia Federal. A prisão dele foi decretada na Operação Partialis, deflagrada para combater o desvio de recursos públicos na aquisição de gases medicinais em Brasília e no Pará. De acordo com a PF, os envolvidos no esquema investigado pela operação desviaram R$ 2 milhões em contratos com o setor público. Ele passou cinco dias foragido até se apresentar à superintendência da corporação, em Brasília.

Indiciamento

No último dia 14, eurípedes foi indiciado pela Polícia Civil de Goiás por agressões contra a própria filha, Rebecca Macedo, de 19 anos. Em depoimento à polícia, a jovem afirmou que se encontrou com o pai no escritório dele, em Planaltina de Goiás. Chegando lá, Eurípedes pediu o carro dela, e disse que pagaria R$ 15 mil pelo automóvel. Ela contou não ter aceitado a proposta, e saído do local. No entanto, o político teria ido atrás da filha, tomado a chave do veículo e a agredido com tapas e pontapés. A jovem afirmou ainda que foi jogada no chão por Eurípedes, e que ele levou o carro e jogou as coisas dela pela janela.

A defesa do político pediu a suspeição do delegado que cuidou do caso, Cristiomário Macedo, para que ele fosse afastado. Ao Correio, Cristiomário afirmou que esse tipo de procedimento, que solicita a suspeição, não ocorre no âmbito do inquérito policial. “Ele cometeu um crime capital. Cabe a polícia fazer seu papel e investigar. Suspeição de delegado não existe. Essas alegações devem ser feitas na Justiça”, declarou. Cristiomário concluiu o caso e enviou o relatório ao Poder Judiciário.

Nota do Pros

O presidente nacional do PROS, Eurípedes Júnior, não foi e também não mandou ninguém hoje ou em qualquer outra data à sede do partido, ocupada desde o dia 11 de janeiro por um grupo de ex-filiados. É inverídica, fantasiosa e sem nenhum fundamento a informação de que pessoas ligadas ao presidente Eurípedes Júnior teriam tentado invadir hoje (sábado, dia 25), pela manhã, a sede do PROS. 

Também é totalmente esdrúxula e sem veracidade a informação de que pessoas ligadas ao presidente do PROS teriam tentado invadir a sede do partido por helicóptero ou pela porta de entrada. O PROS irá tomar todas as medidas legais e criminais cabíveis sobre falsos testemunhos. 

Desde o dia 11 de janeiro, a sede nacional do PROS está nas mãos de um grupo de golpistas, que tenta se apossar do partido sem legitimidade e sem lastro jurídico. As bancadas do PROS na Câmara e no Senado já denunciaram a farsa e reafirmaram a plena vigência do atual Diretório e Executiva Nacional, presidida por Eurípedes Júnior.  

Uma ação de reintegração de posse da sede do PROS foi impetrada na Justiça.O juiz decidiu analisar o pedido depois que examinar todos os documentos. A decisão da Justiça deverá sair na semana que vem. 

Fonte: CB

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here