Senador pede Polícia Federal para entrar no caso Thayná

Clemilda de Jesus, mãe de Thayná durante manifestação na escadaria do Palácio Anchieta. Foto: Fabio Nunes/AT

Vinte dias após o desaparecimento da menina Thayná Andressa de Jesus Prado, de 12 anos, o senador Magno Malta fez um pedido ao Ministro da Justiça, Torquato Jardim, para que as polícias federais procurem e conduzam coercitivamente Ademir Lúcio Ferreira de Araújo, 52, suspeito de sequestrar a estudante.

O senador quer que os policiais encontrem e conduzam o suspeito para participar da CPI dos Maus-tratos no Senado, em Brasília. Além disso, Magno Malta explicou que a CPI tem poder de Justiça e vai quebrar o sigilo telefônico do acusado.

“Ele vai ser convocado para a CPI e já vou pedir a quebra do sigilo telefônico, com isso, as operadoras têm até 2 horas para fazer essa quebra”, explicou o senador.

“A CPI tem alcance nacional e vai colaborar na divulgação da imagem do suspeito em aeroportos e junto às polícias federais. Além disso, tem instrumentos legais que o senador veio colocar à disposição”, complementou o titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, Lorenzo Pazolini.

21 mil desaparecimentos

Em 9 anos, foram registrados em todo o Estado, 21.551 casos de desaparecimento, de acordo com o Conselho Estadual de Direitos Humanos. Ainda segundo o conselho, foram 1.236 casos de pessoas desaparecidas somente no ano passado.

“Fomos procurar informações e nos deparamos com esse número alto de desaparecidos. A gente viu que não é só o caso da Thayná que não tem nenhuma resposta das autoridades. A gente gostaria de saber das autoridades se há inquéritos para esses casos e quantas pessoas foram encontradas”, explicou a presidente do conselho, Bruna de Vincenzi.

Reportagem de Rafael Louzada

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here