Sindipetro muda estratégia e mantém estado de greve

Após a ministra Maria de Assis Calsing, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), conceder liminar contra a greve de 72 horas, o Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro) mudou a estratégia, mas mantém estado de greve. De acordo com o diretor de comunicação do sindicato, Valnísio Hoffmann, as paralisações programadas para iniciar à meia-noite desta quarta-feira (30), foram substituídas por assembleias, panfletagens e conscientização da população.

Segundo ele, houve um ato na capital defronte ao Edifício Vitória, o Edivit, sede da Petrobras no Espírito Santo. “Foi um ato quase que histórico, com a mobilização de taxistas, motoristas de Uber e pedestres que aderiram ao movimento e foram para frente do prédio participar da ação” destacou Valnísio.

O diretor afirmou ainda que foi convocada uma reunião com representantes da Federação Única dos Petroleiros (FUP) para a noite desta quarta com o objetivo de discutir a liminar da ministra do TST e encaminhar as próximas ações. Segundo ele, não está descartada uma greve por tempo indeterminado. Ele considerou a decisão da ministra “tendenciosa”.

Uma pequena mobilização ocorreu, também pela manhã, na portaria do Terminal Norte Capixaba.

SÃO MATEUS

Em São Mateus foi realizada uma pequena mobilização na portaria do Terminal Norte Capixaba (TNC). De acordo com um petroleiro, alguns representantes do Sindipetro e da FUP abordaram trabalhadores usando carro de som e faixas. Ele afirma que não houve interrupção dos trabalhos.

São Mateus e Vitória-ES

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here