Vereador de Guarapari é afastado em caso de áudios com cobrança de propina

Por 11 votos favoráveis e 4 abstenções, os parlamentares da Câmara de Guarapari decidiram pelo afastamento do vereador Dito Xáreu (SDD), pelo caso dos áudios atribuídos a ele onde há cobrança de propina a empresários do município para alterar o Projeto de Lei Complementar (PLC 008/2018).

Com a decisão, Dito Xaréu ficará afastado por 90 dias, prorrogáveis por mais três meses. A sessão começou as 15h e terminou as 18h. Optaram pela abstenção Camila Rocha (PDT), Sandro Bigossi (PDT), Rosângela Loyola e o líder do prefeito na Câmara, Wendel Lima (PTB). Nenhum vereador votou contra.

Após os votos, foi decidido, em sorteio, que Fernanda Mazzelli (PSD) presidirá a Comissão Processante (CP); Marcos Grijó  (PDT) será o relator e Wendel Lima será membro. Eles serão os responsáveis por decidir o futuro do vereador nos próximos meses.

Dito Xaréu teve uma hora pra fazer defesa, mas optou por falar 30 minutos nos quais qual disse não ser o autor dos áudios e que trata-se de uma montagem. O advogado dele falou durante a última meia hora restante.

O caso

Áudios atribuídos ao vereador Dito Xaréu, de Guarapari, mostram o parlamentar supostamente cobrando propina para alterar o Projeto de Lei Complementar (PLC 008/2018) e assim evitar que empresários do ramo de eventos não pagassem, por exemplo, taxas de licenciamento ao município.

O interesse seria no Projeto de Lei Complementar 008/2018, de autoria do vereador, que estabelece normas e procedimentos para à realização de eventos no município de Guarapari e também altera disposições da Lei Complementar Municipal nº 008/2007 que instituiu o Código Tributário Municipal.

O Ministério Público Estadual (MPES) investiga o caso.

 

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here