Vitória vai ter vaga de estacionamento para recarga de veículo elétrico

“A procura por esse tipo de veículo é grande, mas ainda não temos muita oferta. Existe uma escassez grande de modelos”, afirmou a engenheira eletricista Aline Gonçalves Santos, que é integrante da ABVE.

O comerciante Alonso Nunes conta que além de econômico, o carro movido à energia elétrica é silencioso. (Foto: Leone Iglesias)

Imagina deixar seu carro estacionado por três horas e sair de lá com “combustível” suficiente para rodar 250 quilômetros sem pagar nada. Isso é possível com os veículos movidos à energia, que estão se popularizando no País e começam a chegar no Estado.

Em tempos de alta no preço da gasolina e discussões sobre a emissão de poluentes no ar, o Estado vai ganhar sua primeira vaga de estacionamento para recarga de veículos elétricos. A vaga, que contará com um ponto de abastecimento, ficará no estacionamento do Shopping Vitória e será inaugurada neste sábado (12).

Atualmente, cerca de 20 carros movidos à energia elétrica estão circulando pelas ruas da Grande Vitória. Um deles pertence ao comerciante Alonso Nunes, 38 anos, que comprou o veículo há oito meses desembolsando R$ 150 mil. O valor do veículo ainda é alto, mas a economia compensa, segundo Nunes.

“A economia é enorme, pois eu não gasto mais comprando gasolina, que está com um valor absurdo. Só deixo ele na tomada e saio dirigindo. Sem contar que o carro é totalmente silencioso”, afirmou o comerciante.

Isso porque, no lugar do motor convencional, o veículo possui uma bateria, que não necessita de combustível para funcionar. Ou seja, o veículo não emite poluentes. Pelo tempo que Alonso Nunes possui o carro, ele já deixou de jogar na atmosfera cerca de 1 tonelada de dióxido de carbono.

De acordo com associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), circulam pelo País cerca de 300 carros totalmente a bateria. O valor alto explica esse número ainda pequeno, já que os veículos são importados e custam, em média, R$ 200 mil.

“A procura por esse tipo de veículo é grande, mas ainda não temos muita oferta. Existe uma escassez grande de modelos”, afirmou a engenheira eletricista Aline Gonçalves Santos, que é integrante da ABVE.

Ela acredita que a popularização dos veículos elétricos depende de mais incentivo do poder público para que o custo do carro caia e mais empresas passem a comercializá-los. “Estamos na expectativa de que o imposto caia de 25% para 7%. As baterias, por exemplo, são todas importadas e representam o maior custo do veículo. Caindo o preço da importação, o valor do carro também cai”, disse Aline. Informações Folha Vitória.

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here