‘Vou viver o resto da minha vida pedindo justiça’, diz mãe de DJ morto em Vila Velha

Familiares e amigos do DJ e produtor musical Thiago Silva dos Santos, mais conhecido como Thiago Creiencontrado morto em um matagal de Vila Velha, na última terça-feira (10), estão aflitos com a falta de notícias sobre as circunstâncias da morte do rapaz. Até o momento, ninguém foi preso por suspeita de participação no assassinato do músico.

No início da noite desta segunda-feira (16), eles realizaram um protesto na avenida Carlos Lindenberg, na altura do bairro Nossa Senhora da Penha, em Vila Velha. Portando cartazes, faixas e utilizando um trio elétrico, eles pediam justiça para o caso e que a polícia dê logo uma resposta sobre o que aconteceu com o rapaz.

A mãe de Thiago, Regiane Silva Santos, estave no protesto e foi consolada por vários manifestantes, que a receberam com um abraço. Muito emocionada, ela afirmou, em conversa com jornalistas, que não sossegaria enquanto os responsáveis pela morte do filho não fossem identificados e presos.

“Eu vou viver pelo resto da minha vida pedindo justiça. Enquanto eu não ver esse monstro atrás das grades pagando por toda a barbaridade que ele fez, eu não vou sossegar, eu não vou parar de gritar. Eu quero justiça! Justiça seja feita pelo Thiago Crei”.

Em conversa com a equipe de reportagem da TV Vitória/Record TV, mais cedo, outros familiares também falaram da angústia pela falta de respostas sobre o caso. Os parentes também lembraram de como era Thiago Crei. Segundo eles, um jovem alegre, alto astral e que nunca havia brigado com ninguém.

“Ele só queria mesmo era vencer na vida para poder ajudar a família. Sempre ele falou que queria comprar uma casa para a mãe dele. Ele era uma pessoa tranquila, nunca usou drogas, nunca bebeu. Ele era um menino ótimo. Não tem ninguém que pode falar mal de Thiago”, disse a avó do rapaz, Ivanete Silva de Paula.

Já a tia, Alessandra Silva de Paula, lembra com saudades do dia em que conheceu o sobrinho, ainda recém-nascido.

“Eu só lembro quando eu peguei o Thiago na palma da minha mão e falei com minha mãe: ‘nossa, ele é tão pequenininho’! Foi uma injustiça muito grande o que fizeram com meu sobrinho. O que a gente quer é justiça. Falou que ele queria aposentar a mãe dele, que era o sonho dele. E hoje eu olho: a pessoa luta tanto para acabar assim. É muito triste”, lamentou.

Thiago Crei foi encontrado morto no início da manhã da última terça, em uma região de mata do bairro Ataíde, em Vila Velha. De acordo com a polícia, o DJ e produtor musical tinha várias marcas de facadas pelo corpo. O carro de Thiago foi localizado um dia depois do crime.

“O que a família quer agora é justiça, porque a gente não tem notícia de nada, a gente não sabe de nada o que aconteceu, se tem alguma pista, se tem algum DNA no carro, se eles acharam alguma coisa. A gente quer pelo menos alguma resposta: se tem alguma coisa na casa dele, se acharam alguma digital no copo da bebida que estava lá, se ele foi abordado em casa, a câmera da rua onde o carro passou. Tem que ter alguma câmera, alguma coisa que mostre onde ele passou, com quem falou no telefone”, disse a prima de Thiago, Sheilimar de Paula.

Mais de 330 pessoas foram assassinadas neste ano no ES

Assim como a familia de Thiago, muitas esperam por justiça no Espírito Santo. Somente neste ano, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado (Sesp), 338 pessoas foram assassinadas.

No mesmo período de 2021, foram 380 casos de homicídios registrados. Já em 2020, o número foi ainda maior: 438 pessoas mortes nos primeiros meses do ano.

A Polícia Civil disse que a morte do DJ está sendo investigada pela Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa de Vila Velha e, até o momento, nenhum suspeito foi identificado.

“Ninguém dá notícia, ninguém fala nada, ninguém sabe quem foi que matou. Enquanto a gente não souber, a gente vai ficar sentido. Essa dor está demais. Dói muito!”, desabafou a avó do rapaz.

Fonte: Folha Vitória

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here