“A gente tem que unir os pedacinhos”, diz mãe de Milena Gottardi

Douglas e Zilca Gottardi, irmão e mãe da médica Milena Gottardi

“Nem nos piores pesadelos a gente podia imaginar uma coisa dessas”, disse o irmão de Milena Gottardi, que falou do crime ao lado da mãe.

“Mãe, eu só quero paz. Quero que minhas filhas sejam felizes.” Segundo familiares, esse era o maior desejo de Milena Gottardi Tonini Frasson, 38, assassinada quando saía do Hospital das Clínicas no último dia 14.

Demonstrando força e fé inabaláveis, a mãe da médica, Zilca Maria Gottardi Tonini, 71, ao lado do irmão de Milena, Douglas Gottardi Tonini, 36, quebrou o silêncio na tarde dessa terça-feira (26). Para familiares, o desfecho da tragédia, com a prisão do marido da médica, Hilário Frasson, 44, foi uma surpresa. Ele é suspeito de ser mandante do crime.

Douglas e Zilca preferiram não mostrar o rosto, por orientação de advogados para preservar as filhas da médica, de 2 e 9 anos. Elas estão sob a guarda provisória de Douglas.

Douglas chegou a relatar que há cerca de quatro anos a família percebia que Milena não estava feliz e andava cabisbaixa. “A gente sempre comentava que parecia que Hilário tinha uma dupla personalidade. Ou estava muito feliz ou muito emburrado. Às vezes a gente chegava à casa dele e ele não falava com a gente.”

Douglas ainda contou que apesar de Hilário não tratar a mãe de Milena bem, até o assassinato da irmã ele o considerava um amigo.

“Em momento algum a família esperava algo assim de uma pessoa que conviveu por 20 anos, em nossa casa. É algo que não tem como imaginar. A gente vê a situação, deles presos, mas parece mentira. Nem nos piores pesadelos a gente pensava nessa situação.”

Ao falar sobre a irmã, Douglas não escondeu a emoção: “A lembrança que fica é da irmã dedicada, profissional excelente, com um coração enorme, que fazia tudo pelos pacientes, por nós, pelas crianças. Nunca teve horário. Ela atendia dentro de casa, pelo telefone. Fica a bondade que ela tinha.”

A mãe de Milena fez agradecimentos à polícia, imprensa, ao Ministério Público, aos advogados, médicos e à população pelo apoio.

“Ficamos emocionados com toda ajuda. A gente sentiu aquela força e amizade em uma hora difícil, dolorida. Deus estará conosco. Tenho certeza que de lá ela estará sempre nos ajudando, olhando por suas criancinhas”, disse a mãe.

Zilca ainda revelou que com fé, a família vai conseguir se recuperar. “O coração de mãe fica despedaçado. A gente tem que unir os pedacinhos”.

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here