Ademir disse que não estava dirigindo seu carro no dia que a menina Thayná foi levada

Clemilda, mãe da garotinha Thayná, perguntou Ademir Lúcio o que ele falou com a menina para fazê-la entrar no carro e ele disse que o sangue encontrado em seu carro não era de Thayna, mas de outra menina

C.DR

Clemilda de Jesus fala na CPI dos Maus Tratos sobre a filha Thayná Andressa, e questiona o acusado Ademir Lúcio Ferreira o que ele falou à menina para ela entrar em seu carro.

O acusado decidiu responder e afirmou não ter sido o responsável pelo crime. Ele novamente afirmou que foi torturado e disse ter sido vítima de provas falsas. Segundo Ademir, o sangue encontrado em seu carro não era de Thayna, mas de outra menina.

O acusado em sua resposta confessou o estupro da menina de 11 anos. No entanto, ele afirmou que sabe quem é o responsável pelo estupro e morte de Thayna.

Ademir disse que não estava dirigindo seu carro no dia que a menina foi levada, mas que era um homem branco e de barba. Ele afirmou ainda que a denúncia que fez ao judiciário está sob sigilo.

O senador Magno Malta perguntou à Clemilda o que ela espera da CPI. De acordo com Clemilda, o que espera é o endurecimento das penas, como uma prisão perpétua para acusados deste tipo de crime. Clemilda destacou ainda que um suspeito como Ademir se voltar às ruas poderá cometer novos crimes como o de Thayná.

 

Fonte Tribuna Online

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here