Assinatura da ordem de serviço para duplicação da BR 262 será na próxima terça-feira (10)esperar para ver

A espera pelo início das obras de duplicação da BR-262, que chega a mais de 10 anos, parece que terá fim ainda neste ano. O superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Ezio Gonçalves dos Reis, confirmou que a ordem de serviço para o início dos trabalhos será assinada na próxima terça-feira (10), às 11 horas, em Brasília.

Com a oficialização, que será dada pelo ministro dos Transportes, Maurício Quintela, inicialmente, a duplicação será realizada em um trecho de 7.280 quilômetros, entre os quilômetros 49,38 ao km 56,66 da rodovia, em Marechal Floriano, iniciando próximo ao Posto Ipiranga e finalizando entre o a localidade de Trevo de Paraju e o Posto do Café.

Ézio fala sobre o porquê da escolhe deste trecho para o início das obras. “Isso se deve a uma solicitação do Ministério Público Federal, que tendo em vista o número de acidentes que ocorrerem nesse segmento solicitou que o Dnit iniciasse a obra por esse trecho”, contou o superintendente.

O superintende também lembra que para a realização da obra será feito um levantamento das instalações que serão fixadas para execução da duplicação e que poderão levar até quatro meses parte estarem totalmente prontas. “A implantação de rodovia envolve em si muita mão de obra muito qualificada apoiada por aqueles que trabalham, com tratores agrícolas, vibroacabadora, que trabalham na pedreira, tem que se fazer o desmonte da rocha, inclusive neste canteiro, e nós vamos ter todas as instalações. Vão ser britadouro, vamos ter usina de asfalto, então são dois hectares e meio de área ocupada, inclusive tratamento dos afluentes industriais do resíduo, tudo dentro do que preconiza as leis do Iema e do Idaf”, considerou o representante do Dnit.

Segundo Ézio, aproximadamente R$ 70 milhões serão investidos para a realização desta obra que levará cerca de um ano para ser concluída, gerando cerca de 500 empregos. “No Trevo de Paraju, inclusive, vai ser construído as instalações industriais do canteiro de obras, em uma de 24 mil metros quadrados. Nesse primeiro canteiro, temos uma previsão de criação de 500 empregos para a execução desta obra e mais ou menos entre 40 e 50 funcionários para executar o próprio canteiro”, lembra Ezio.

OUTROS TRECHOS – O superintende também lembrou que o Dnit deseja fazer um trabalho de recuperação da pista nos trechos entre a localidade de Vitor Hugo até a divisão com Minas Gerais, mas que para isso necessita de recursos.

Mesmo caso da via do quilometro 19 até o 70, entre os municípios de Marechal Floriano e Viana, no qual Ézio afirma que, neste primeiro momento, ainda não existem recursos para obra e sim para um trabalho de duplicação.

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here