Carro utilizado no sequestro da menina Thayna foi vendido onze dias após o crime

Em coletiva de imprensa realizada na tarde desta terça-feira (07), a Polícia Civil deu detalhes sobre o trabalho de investigação do sequestro da menina Thayná Andressa de Jesus, de 12 anos. O crime aconteceu no dia 17 de outubro, quando Thayná entrou no carro conduzido por Ademir Lúcio Ferreira Araújo no bairro Universal, em Viana, e nunca mais foi vista.

Segundo a Polícia, para se desfazer da prova do crime, Ademir vendeu o veículo para uma pessoa em Cobilândia, Vila Velha, no dia 28 de outubro, onze dias depois do desaparecimento de Thayná. Ademir vendeu o carro por R$ 5 mil, mas só recebeu R$ 2 mil, com a promessa de receber outros R$ 3 mil. Apenas no dia 1º de novembro, o caso foi divulgado pela Polícia.

O carro utilizado no crime, o Gol placa MTN-8789, foi apreendido nesta segunda-feira (06) em uma oficina de Guarapari. A polícia chegou ao local por meio do trabalho de investigação.

“O senhor foi ouvido em Guarapari e confirmou que era o Ademir”, explicou o delegado José Lopes, titular da Delegacia de Pessoas Desaparecidas. O caso segue em segredo de Justiça.

Aprendido, o carro foi levado para perícia onde foi feita a coleta papiloscópica e de DNA (por meio de fios de cabelo). O banco traseiro do carro também será analisado. O objetivo da polícia é encontrar algum material genético da menina no veículo. O resultado da perícia deve sair nos próximos 30 dias.

“Estamos usando nosso efetivo todo para trabalhar nisso e estamos em parceria com a Polícia Federal e o apoio da Polícia Rodoviária Federal”, explicou o delegado.

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here