Detentas fazem perucas, próteses e lenços para mulheres com câncer

Ação do Outubro Rosa visa aumentar a autoestima de mulheres com câncer.Internas produzem perucas, próteses e lenços.

Detentas fazem perucas, próteses e lenços para mulheres com câncer
Detentas fazem perucas, próteses e lenços para mulheres com câncer

Vinte e cinco perucas confeccionadas por detentas do Centro Prisional Feminino de Colatina, na região Noroeste do Espírito Santo, foram entregues nesta quarta-feira (11) a mulheres em tratamento de câncer de mama no Hospital São José. As internas participaram como voluntárias do projeto “Mãos Solidárias” e terão a pena reduzida em um dia a cada três trabalhados.

A ação começou a ser desenvolvida pela Secretaria de Estado de Justiça (Sejus) em 2015 para o Outubro Rosa com o objetivo de aumentar a autoestima de mulheres com câncer e estimular a solidariedade dentro do sistema prisional. A parceria com o Hospital São José capacitou as detentas e, nesse período, 80 perucas já foram confeccionadas além de lenços e próteses.

Passando pelo processo de quimioterapia, Giovana Mendonça, de 39 anos, tem câncer de mama e recebeu a peruca há quatro meses. “Eu acho esse projeto muito bacana porque é uma coisa cara e traz uma nova vida para a gente. Eu recuperei a minha autoestima. Onde eu vou, estou com a peruca. No momento mais complicado da minha vida recebi essa ajuda”.

Além da produção, as detentas ainda contribuem com a doação do cabelo. Na segunda-feira (9), aconteceu no Centro Prisional Feminino de Cachoeiro de Itapemirim o “Dia da Beleza”. No evento, as presidiárias foram incentivadas a doar o cabelo e 17 delas decidiram participar.

Segundo a gerente de Educação e Trabalho da Sejus, Regiane Kieper do Nascimento, a prática aumenta a autoestima não só das mulheres com câncer, mas também das que doam. A secretária explica que o programa busca estimular nas detentas a solidariedade.

“A ação do ‘Dia da Beleza’ é muito importante por trabalhar com a autoestima delas. O sentimento positivo acaba passando também para as pacientes. Nós trabalhamos também a solidariedade. Ao ouvir as pacientes, elas percebem que a privação da liberdade pode não ser o maior problema do mundo. Mesmo na condição delas, as internas podem proporcionar um benefício a outras pessoas”, declarou Kieper.

Para a confecção das perucas são necessários, em média, de 10 a 12 cortes de cabelo. Por isso, além da doação de cabelo das internas, o projeto “Mãos Solidárias” também conta com a doação de salões de belezas parceiros.

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here