ECO101 pode ser processada por familiares de vítimas da tragédia

Mesmo diante de tanta tristeza, alguns familiares estão dispostos a não deixar essa tragédia passar em branco e querem recorrer à Justiça para cobrar a responsabilização da Eco101 pelo trágico acidente, no qual nove integrantes do Grupo Folclórico Bergfreund de Campinho morreram, além do motorista e do filho de uma dançarina.

A mãe do professor de Matemática Aloisio Endlich não se conformava com a morte precoce do filho e repetia durante o velório as mesmas palavras que disse ao ver o governador, na missa de segunda-feira (11), quando cobrou justiça e prisão do motorista do caminhão carregado com granito.

Até o momento, a maioria dos familiares preferiu resolver questões burocráticas e amparar os familiares, mas, nos bastidores, já há uma movimentação.

O padrinho do estudante Pedro Lucas Saar Dias, o pastor luterano Rodrigo André Seibel, explicou que a família não parou para pensar no assunto.

Já a tia de um dos mortos, que pediu sigilo, disse: “Queremos sim saber de quem é a real culpa. As amigas da minha sobrinha querem fazer uma mobilização para cobrar algo. É muita revolta junta”.

Oito corpos ainda aguardam identificação por DNA no Departamento Médico Legal. São eles: Gabriel Degen Couto e a noiva Marilia Rodrigues Alves; José Ronaldo Martins; Suzana Maria Herbst; Fabiana de Carvalho Littig e o filho, Luis Fabiano; Pedro Lucas Saar Dias e o motorista Vanderlir Müller.

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here