Em uma semana, Espírito Santo registra 28 mortes super violentas

Um novo projeto do Bananal Online, em parceria com especialistas, monitora casos de violência. Levantamento registrou, no período de 21 a 27 de agosto, todos os homicídios, latrocínios e suicídios do país.

Espírito Santo registrou 28 mortes violentas entre 21 e 27 de agosto de 2017. São 27 casos de homicídios e um caso de suicídio, sendo mais de 80% causados por arma de fogo. Oito mulheres foram assassinadas no período. Ao fim da matéria, clique nos links para as publicações e veja as informações obtidas sobre cada um dos casos.

Os números integram um levantamento nacional feito pelo G1, que é o ponto de partida de uma parceria com o Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da USP e com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O projeto tem um nome: Monitor da Violência. Com uma série de iniciativas que envolvem reportagem e análise de dados, o projeto vai fazer o acompanhamento desses e de outros casos de violência no país.

Os casos foram levantados pela reportagem em tempo real, a partir de ligações para as delegacias do estado e Departamento Médico Legal. As informações foram confirmadas ao final do período com dados fornecidos pelo Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) foi acionada diversas vezes para dar informações sobre cada morte e sobre o desfecho dos casos, mas não respondeu em várias delas. O número de homicídios do período, em agosto, só foi divulgado pela Sesp, por meio do site institucional, em meados de setembro.

Em alguns casos, informações básicas como horário e local das mortes foram negadas pela Sesp. Uma seção onde estão dispobinilizados boletins de ocorrência no site chegou a ser mencionada para que a reportagem pudesse acessar as informações. No entanto, o último documento disponibilizado é de fevereiro deste ano, o que demonstra 6 meses de defasagem.

Uma semana de mortes

A violência não deu trégua em nenhum dia entre 21 e 27 de agosto. Foram 27 homicídios em sete dias, cada um marcado por pelo menos uma vida perdida.

Homicídios no Espírito Santo

Jogada às margens de uma rodovia federal, Cristina foi encontrada morta, nua, com sinais de violência sexual, no fim da manhã do dia 24 de agosto. Ela morreu aos 29 anos, estrangulada. Não se sabe quem cometeu o crime e não há informações sobre a prisão de nenhum suspeito.

No mesmo dia, a jovem advogada Gabriela estava, de 24 anos, andava em direção ao ponto de ônibus quando foi abordada e jogada para dentro de um carro. Eram 11h da manhã. Quem estava dentro do veículo eram o ex-noivo da vítima, Rogério Costa, e um amigo dele, Alexandre Souza.

O sequestro se estendeu até a noite. Às 20h, Gabriela conseguiu sair do carro e pediu socorro, mas foi agredida com chutes e estrangulada. Em seguida, eles atropelaram a advogada para forjar um acidente. Rogério não aceitava o fim do relacionamento. Os dois foram presos.

Mulher foi encontrada morta dentro do carro com o marido, em Domingos Martins (Foto: Reprodução / Facebook)Mulher foi encontrada morta dentro do carro com o marido, em Domingos Martins (Foto: Reprodução / Facebook)

Mulher foi encontrada morta dentro do carro com o marido, em Domingos Martins (Foto: Reprodução / Facebook)

As outras cinco vítimas foram mortas por arma de fogo e não tiveram os nomes divulgados.

Gênero das vítimas de homicídios no Espírito Santo
Mortos no período de 21 a 27 de agosto de 2017 em levantamento feito pelo G1.
Homens: 70,37 %Mulheres: 29,63 %

Homens
70,37 %
Fonte: G1 ES, Sindipol-ES, Sesp

Nem todo homicídio de mulher é considerado feminicídio, que é caracterizado quando a motivação do crime é uma questão de gênero. E apesar de, no panorama geral, morrerem mais homens do que mulheres, o feminicídio envolve razões específicas: raiva, menosprezo, relação de poder.

O Espírito Santo está acima da média nacional de feminicídios, e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública acredita que o número de casos no país seja ainda maior. O motivo é que os crimes nem sempre são registrados corretamente.

A consultora sênior de projetos do Fórum, Olaya Hanashiro, afirma que a subnotificação de casos de feminicídio atrapalha no enfrentamento do problema.

A própria polícia, segundo a especialista, poderia fazer essa classificação a partir de elementos existentes em casos como o de Cristina, por exemplo, que foi encontrada morta, nua, às margens de uma rodovia, com sinais de violência sexual.

“É muito importante, para ter uma dimensão real do problema, a gente ter os dados. Para que o poder público possa ter atitudes adequadas. A gente precisa de estatísticas para saber se as políticas públicas estão funcionando, inclusive para a gente dar visibilidade à questão”, disse Hanashiro.

Os casos

Dia 21 de agosto

Homem foi encontrado morto na Rodovia Leste-Oeste, em Vila Velha (Foto: Reprodução / Facebook)Homem foi encontrado morto na Rodovia Leste-Oeste, em Vila Velha (Foto: Reprodução / Facebook)

Homem foi encontrado morto na Rodovia Leste-Oeste, em Vila Velha (Foto: Reprodução / Facebook)

  • Homem é encontrado morto na Rodovia Leste-Oeste, em Vila Velha
  • Dois homens são encontrados mortos em Cariacica, na Grande Vitória
  • Mulher é encontrada morta em estrada de zona rural da Serra

Dia 22 de agosto

  • Mulher é encontrada morta no bairro Vale Encantado
  • Jovem de 20 anos é encontrado morto na Serra
  • Homem de 33 anos é encontrado morto em São Mateus

Dia 23 de agosto

  • Homem é encontrado morto em Padre Gabriel, Cariacica
  • Homem de 35 anos é encontrado morto em Aracruz

Dia 24 de agosto

Rewer Welcam Martins morto em Padre Gabriel (Foto: Reprodução/ Facebook)Rewer Welcam Martins morto em Padre Gabriel (Foto: Reprodução/ Facebook)

Rewer Welcam Martins morto em Padre Gabriel (Foto: Reprodução/ Facebook)

Dia 25 de agosto

Dia 26 de agosto

Homem morto em Vila Velha era conhecido como Gato Preto (Foto: Reprodução / Facebook)Homem morto em Vila Velha era conhecido como Gato Preto (Foto: Reprodução / Facebook)

Homem morto em Vila Velha era conhecido como Gato Preto (Foto: Reprodução / Facebook)

Dia 27 de agosto

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here