Empresário tem prejuízo de mais de R$ 30 mil após cair no ‘golpe do depósito falso’

Criminosos entraram em contato com a empresa, na última quinta-feira, alegando terem feito um depósito por engano e pedindo a devolução do dinheiro

 

Uma empresa de manutenção industrial da Grande Vitória teve um prejuízo de R$ 33 mil, após cair no chamado “golpe do depósito falso”. O crime acontece quando o estelionatário faz um depósito bancário “por engano”, utilizando um envelope vazio ou um cheque inválido, e depois pede a devolução do dinheiro para o suposto beneficiário.

O dono da companhia procurou a Delegacia de Defraudações e Falsificações, na última sexta-feira (01), e registrou um boletim de ocorrência. Segundo o empresário, os criminosos enviaram um e-mail, na quinta feira pela manhã.

Nele, um homem, que se apresentou como Gustavo Queiroz dos Santos, informava ter feito um depósito na conta da empresa. Com palavras rebuscadas, o suposto fornecedor pedia a devolução do valor.

“Eles entraram em contato primeiro por telefone. A empresa então solicitou que eles encaminhassem um e-mail, explicando tudo, com todos os dados das contas. Eles utilizaram realmente o nome de uma outra empresa, que possivelmente é cliente dessa empresa que acabou caído no golpe, e deu toda uma sensação de realidade ao golpe”, explicou a titular da Defa, delegada Rhaiana Bremenkamp.

Antes de realizar o depósito, a funcionária da empresa ainda teve o cuidado de conferir o extrato da conta da empresa e nele constava um deposito de R$ 33 mil. No entanto, o dinheiro estava bloqueado e o próprio extrato informava que poderia haver mudanças e que aquele valor ainda não estava disponível. Mesmo assim, a funcionária fez a transferência, sem saber que estava caindo em um golpe.

“O banco percebeu que poderia ser uma fraude e informou ao cliente, que tentou bloquear esses valores”, frisou a delegada.

Segundo Rhaiana Bremenkamp, o golpe do falso depósito fez vítimas no Espirito Santo há cerca de um ano e agora voltou a aparecer. A delegada explica que o golpista faz contato com uma empresa, se passando por um cliente ou fornecedor, afirma que realizou um depósito de forma equivocada e pede a devolução do dinheiro. Com uma boa lábia, típica dos estelionatários, o bandido acaba convencendo a vítima a realizar a transferência.

Ainda segundo Bremenkamp, esse foi o primeiro caso registrado neste ano no Estado, mas já serve de alerta. “Esse tipo de estelionatário age sempre em final de expediente e na sexta-feira. Ele é muito insistente, informa que precisa muito daquele valor e que não tem como esperar até segunda, então solicita essa transferência rápida. Então tem que manter a calma, tem que realmente esperar a confirmação do depósito e, somente com a confirmação do seu gerente, de que aquele valor está na conta, esperando aquelas 24 horas necessárias, é que você deve devolver, se for realidade”, orientou a delegada.

 

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here