ESTUDO APONTA QUE 18 CIDADES DO ES TÊM ALTO NÍVEL DE PROBLEMAS COM O CRACK

Um estudo feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) mostra que 18 cidades do Espírito Santo, todas no interior, consideram alto o nível de problemas com o crack.

O estudo tomou por base as respostas dadas pelas prefeituras. Os próprios gestores municipais que classificam o problema como alto, médio ou baixo. O resultado depende do nível da interferência que o crack faz nas áreas de assistência, educação, saúde e segurança.

No Espírito Santo, 32 municípios declararam médio nível de problemas com crack, 16 com baixo. Onze não responderam e uma cidade disse que não tem problemas.

Confira o resultado do estudo:

Alto nível de problemas com crack

Água Doce do Norte

Aracruz

Baixo Guandu

Boa Esperança

Bom Jesus do Norte

Cachoeiro de Itapemirim

Castelo

Divino São Lourenço

Ibitirama

Jaguaré

Marataízes

Mimoso do Sul

Muqui

Pancas

Pinheiros

Santa Maria de Jetibá

Sooretama

Vargem Alta

Médio nível

Afonso Cláudio

Alegre

Alfredo Chaves

Alto Rio Novo

Anchieta

Cariacica

Colatina

Conceição da Barra

Domingos Martins

Fundão

Governador Lindenberg

Guaçui

Ibiraçu

Itaguaçu

Itapemirim

Itaraba

Iúna

Jerônimo Monteiro

Marechal Floriano

Montanha

Muniz Freire

Nova Venécia

Ponto Belo

Rio Novo do Sul

Santa Maria de Jetibá

São Gabriel da Palha

São José do Calçado

São Roque do Canaã

Viana

Vila Valério

Vila Velha

Vitória

Baixo nível

Águia Branca

Apiacá

Barra de São Francisco

Brejetuba

Conceição de Castelo

Iconha

Laranja da Terra

Marilândia

Mucurici

Piúma

Presidente Kennedy

Rio Bananal

Santa Leopoldina

São Domingos do Norte

Venda Nova do Imigrante

Vila Pavão

Sem problemas

Dores do Rio Preto

Não responderam:

Atílio Vivácqua

Ecoporanga

Guarapari

Ibatiba

Irupi

João Neiva

Mantenópolis

Pedro Canário

Santa Teresa

São Mateus

Serra

G1-ES
Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here