Líderes da quadrilha planejavam furtar BB e constuíram tunel de 600m

O túnel encontrado pela Polícia Civil em São Paulo para roubar um banco tinha 600 metros. A Polícia Civil vigiou os suspeitos por dias até achá-lo.

Os líderes da quadrilha planejavam furtar cerca de R$ 1 bilhão do Banco do Brasil, em São Paulo. A investigação teve início há cerca de três meses, quando o Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) recebeu informações de que uma quadrilha tentaria assaltar o Complexo Verbo Divino do Banco do Brasil, que fica na zona sul da capital paulista. A polícia não esclareceu como obteve as informações.

Em seguida, a Polícia passou a investigar como o assalto aconteceria e quem eram os líderes. Para isso, policiais visitaram as instalações do banco, onde verificaram que havia um grande aparato de segurança, o que provavelmente descartava um assalto convencional.

Assim, suspeitou-se de que a tentativa seria realizada por um túnel para entrar no cofre do banco à noite. “Há um mês, identificamos o QG (dos criminosos), que ficava na zona norte. Vimos uma movimentação anormal”, disse o delegado Fábio Pinheiro Lopes, responsável pelo caso.

Policiais disfarçados alugaram uma casa, de onde realizaram vigilância, pois suspeitavam que os criminosos preparavam ferramentas e instrumentos que seriam usados no túnel que seria cavado até o cofre. A suspeita foi reforçada pelos suspeitos saírem sempre do local com equipamentos e de que estavam lidando com uma quadrilha especializada em assaltos a banco. “Em uma semana, a gente conseguiu identificar onde seria o túnel. Monitoramos a região e optamos para “startar” (começar) essa operação quando os líderes estivessem reunidos”, afirmou o delegado.

A quadrilha já estava cavando o túnel a partir de uma casa alugada na Chácara Santo Antônio, na zona sul paulista, próxima ao complexo de cofres do banco. O local então passou a ser monitorado também.

Quando o túnel foi descoberto, ele já estava quase concluído e tinha 600 metros de comprimento e cerca de 1,5m de altura, sendo quase oito vezes maior que o usado pela quadrilha que realizou o maior assalto a banco no país, o roubo de R$ 164 milhões do Banco Central de Fortaleza em agosto de 2005.

Mesmo após descobrir o túnel, os policiais continuaram investigando para conseguir identificar os líderes da quadrilha. Na noite de segunda-feira (2), os policiais tinham certeza de que os líderes estavam reunidos e montaram uma grande operação para prendê-los. Dezesseis supostos líderes foram presos. “Quatro (suspeitos) que foram contratados para cavar estão foragidos. Não teve reação. Até porque foi rápido. Não teve nem tempo de reagir. Eles nem acreditaram no que estavam vendo”, disse o delegado.

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here