Menina é esmagada por placa de concreto de muro do metrô no Recife

Kemilly, de 8 anos, estava em uma comemoração no sábado (16) quando foi atingida.

Uma menina de 8 anos foi esmagada por uma placa de concreto de um muro no Recife, em Pernambuco, na tarde do sábado (16). O acidente ocorreu na comunidade do Papelão, no bairro do Coque, no centro da cidade, durante uma festa de uma ONG para comemoração do Dia das Crianças.

Segundo o portal G1Kemilly Kethelyn Lino da Silva foi internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica do Hospital da Restauração e, até o momento, segue intubada.

A estrutura desabou quando a menina estava em pé, na calçada. Segundo as testemunhas do caso, por pouco outras crianças também não foram atingidas na ocasião.

A mãe de Kemilly, a dona de casa Caroline Pereira da Silva, informou ao G1 que ela passou por cirurgia na madrugada deste domingo (17). “Ela saiu da cirurgia e está na sala de recuperação. A operação foi na bacia dela, que teve uma fratura”, relatou.

MURO SEM MANUTENÇÃO

Enquanto isso, o enfermeiro Jonata Bruno, parte da ONG Mão Amiga e um dos organizadores da festa, relata que o muro do metrô no bairro é um dos lugares utilizados pelas crianças para brincadeiras. A manutenção dele fica sob a responsabilidade da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).

Inicialmente, Kemilly foi levada para o Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (Imip), no bairro dos Coelhos. Após os primeiros socorros, a menina foi transferida para o Hospital da Restauração. Segundo a unidade, ela sofreu politraumatismo.

“Ela ainda está na UTI, mas responde quando falam com ela. Não consegue abrir os olhos e vai precisar fazer uma cirurgia no maxilar”, comentou Jonata ao G1.

POSICIONAMENTO DA ONG

Em publicação nas redes sociais, a ONG se posicionou sobre o caso e cobrou providências para que acidente não se repita na região.

“A comunidade exigirá da CBTU, empresa federal que administra o Metrô do Recife, tudo que puder ser exigido em decorrência desta tragédia e, além disso, exigirá as devidas mediadas de manutenção e de precauções para que novas tragédias como essa não voltem a acontecer na vida das nossas crianças”, diz o texto.

Conforme informações da família de Kemilly, a CBTU ainda não ofereceu assistência após o acidente. Entretanto, uma conversa com representantes da empresa deve ocorrer na sgeunda (18).

Fonte: diariodonordeste.

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here