Professora é agredida”Dilacerada”seria ele um aluno ou um marginal na escola

Educadora compartilhou fotos e o relato da agressão em rede social

“Dilacerada. Estou dilacerada”. Assim começa o desabafo da professora de língua portuguesa Marcia de Lourdes Friggi, 51 anos, em sua rede social ao comentar o episódio de agressão sofrido nesta segunda-feira (21) pela manhã na escola que trabalha em Indaial, no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, quando levou socos de um aluno de 15 anos.

Em choque com o que aconteceu, a educadora postou fotos com a lesão provocada e fez um desabafo: “Estou dilacerada porque me sinto em desamparo, como estão desamparados todos os professores brasileiros. Estamos, há anos, sendo colocados em condição de desamparo pelos governos. A sociedade nos desamparou”.

Segundo relato de Marcia, que tem 12 anos de experiência do magistério e leciona no Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) há três anos, era o seu primeiro dia de aula como contratada em regime de caráter temporário (ACTs) para a turma quando ela pediu que o estudante colocasse o livro apoiado nas pernas dele sobre a mesa. Ao que obteve como resposta:

— Eu coloco o livro onde eu quiser.

Ao pedir que o jovem se retirasse da sala de aula e fosse à diretoria, o mesmo teria lançado um livro sobre ela.

Leia mais:
Ao argumentar, foi agredida com socos, sendo um deles no rosto. Então ele a lançou contra a parede.

Até as 21h desta segunda, o relato de Márcia tinha mais de 181 mil compartilhamentos. A ação foi registrada pela vítima na delegacia de Polícia Civil da cidade.

O secretário de Educação de Indaial, Ozinil Martins de Souza, diz que a mãe do aluno foi chamada na escola na tarde de ontem e está ciente da situação. Ainda segundo Souza, o rapaz já era acompanhado pelo Conselho Tutelar e teria entrevistas com psicólogos — ele não soube especificar os motivos. A pasta, junto com a direção da escola e o Conselho, irá decidir na terça qual será o encaminhamento ao estudante.

— Se o menino tem 15 anos e está no Ceja [Centro de Educação de Jovens e Adultos] não completou estudos no ano correto, então pode ter problemas de conduta ou desinteresse. Evidente que é uma atitude que a gente não concorda, mas precisamos ouvir os dois lados, entender o que levou o menino a ter uma reação tão violenta — diz o secretário.

Souza acrescenta que, desde que assumiu a pasta, em janeiro, é o primeiro caso de agressão contra professores em escolas na cidade. Em nota, a Secretaria de Educação de Indaial confirmou o caso e disse que “repudia qualquer tipo de agressão física ou moral, independentemente da motivação” e que, após a ocorrência, a direção do centro de ensino prestou apoio à professora e a levou até a delegacia e ao Hospital Beatriz Ramos, onde ela foi atendida e, depois, encaminhada para casa.

Em entrevista ao DC, Marcia disse que o episódio de ontem é reflexo de um cenário de descaso com a classe que acontece hoje em todo o país.

*Colaborou Lucas Paraizo

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here