Seu cão ou gato podem ser doadores de sangue; veja como participar

Saiba o que é preciso para que seu pet seja um voluntário

Peludo, tranquilo e muito corajoso. Assim é o Shanti, um golden retriever que não tem nem 3 anos de idade completos e já ajudou a salvar a vida de muitos amigos de quatro patas. Isso é porque o cãozinho é um doador de sangue.

Assim como muitos humanos viram doadores voluntários, cães e gatos também podem se engajar nessa causa.

A ajuda vai para animais que foram vítimas de atropelamentos, por exemplo, ou sofrem de uma doença grave que necessite de transfusão de sangue. A demanda não é pequena, segundo o veterinário Alexei Souza.

“Há uma necessidade de um estoque no banco de sangue para emergências. Temos alguns animais cadastrados como doadores, mas não são muitos. E o sangue coletado só pode ser armazenado por até 30 dias”, diz ele, que é diretor de um hospital veterinário em Itaparica, Vila Velha, que fará uma campanha, em dezembro, para atrair voluntários.

Critérios

Quer que seu pet seja um herói? Basta ficar atento a alguns critérios. O cão, por exemplo, precisa ter mais de um ano e pesar no mínimo 25 quilos. Já o gatinho precisa pesar acima de 4 quilos.

Segundo o veterinário, a coleta é rápida, dura no máximo cinco minutos, e é indolor. “O sangue é retirado da veia jugular do animal. Não dói. Há, no máximo, um incômodo causado pela contenção. Por isso, é importante que ele seja dócil”, explica.

Pela campanha do hospital veterinário, os voluntários terão direito a um check up gratuito. “Fazemos alguns exames para saber da saúde do animal, que não pode ter doenças para ser doador”, diz Alexei Souza.

Shanti já perdeu as contas de quantas vezes doou sangue. “É muito tranquilo, não dói, nem estressa o animal. O Shanti fica muito calminho. Fica deitado, enquanto faço um carinho nele”, conta a dona dele, a vendedora Lívia Salles, 29 anos.

Ela só mostra orgulho do seu cãozinho solidário. “Acho que ele sabe que está ajudando outros bichinhos. E um dia pode ser a vez dele de precisar de sangue. Tem que fazer o bem para colher o bem”, comenta a vendedora.

A coleta

A coleta do sangue é feita pela veia jugular do animal. O animal não sente dor, apenas um leve incômodo de estar sendo contido para a realização do procedimento. Se for mais agitado, precisará ser sedado. É colhido em torno de 18ml/kg de sangue

O sangue coletado só pode ficar armazenado por até 30 dias. O ideal é que a transfusão seja com sangue fresco, colhido no mesmo dia do procedimento

REQUISITOS PARA DOAR

– Pode ser macho ou fêmea e de qualquer raça

– O gato deve ter acima de 1 ano de idade e pesar, no mínimo, 4kg

– O cão deve ter entre 1 e 8 anos de idade e peso entre 25kg e 27kg

– Precisa ter temperamento dócil

– O animal deve estar com vacinação e vermifugação atualizadas

– Deve estar sendo medicado contra pulgas e carrapatos

– Fêmeas não podem estar prenhas

Vantagens: O animal doador recebe, no ato do cadastro, o direito a uma consulta com check up completo, com hemograma e outros testes. Se ele se tornar um voluntário, poderá receber as vacinas pendentes, como a déctupla e a antirrábica.

Fonte: Gazeta Online

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here