Sindiupes defende ‘Vacina Já!’ e convoca greve para oito de março

Sindicato dos Trabalhadores da Educação irá acionar Câmaras e Assembleia por vacinação imediata dos profissionais da área.

O Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes) dará início, nos próximos dias, à Jornada de Luta Pela Vida – Vacina e Educação. Disso Não Abrimos Mão!”. Trata-se de uma campanha que busca a inclusão dos profissionais da educação no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19, com convocação de greve para o dia oito de março, seguindo o movimento da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE).

“Estamos sendo pressionados para o retorno às aulas presenciais com o argumento de que a educação é serviço essencial. Se é essencial, os profissionais da educação têm que entrar na fase um de vacinação, mas estamos na quatro”, diz Paulo Loureiro, diretor de Comunicação do Sindiupes.

Para alterar esse cenário, a entidade irá procurar as Câmaras Municipais e a Assembleia Legislativa para solicitar a antecipação da vacina. “Sabemos que somente o Ministério da Saúde pode fazer essa mudança, mas o governo do Estado já sinalizou que quer comprar vacinas. Nesse caso, é possível antecipar”, destaca.
A ideia, diz Paulo, é que os legislativos apresentem projetos de lei para efetivar a antecipação. “É a garantia de proteção à vida no retorno às aulas presenciais. Por isso, todos os nossos esforços caminharão nesse sentido, na busca por respeito e pela valorização da categoria que, nesse momento, representa a luta pela vida, pela vacina!”, ressalta a entidade sindical.
Os profissionais da área também propõem que as Casas de Lei realizem audiências públicas para discutir sobre os protocolos sanitários nas escolas, já que em muitas unidades eles não são possíveis de se concretizar. “Sabemos, por exemplo, que tem escolas que funcionam em espaços improvisados, como igrejas, não tendo infraestrutura adequada para proporcionar o distanciamento entre as pessoas”, aponta Paulo.
O diretor do Sindiupes explica que serão procuradas somente 34 Câmaras, já que o sindicato representa os trabalhadores deste número de municípios, além da rede pública estadual. Quanto à greve de oito de março, será acompanhada de um ato, que, segundo Paulo, ainda está definido. A data foi escolhida porque a maioria das escolas retorna às atividades presenciais no início do próximo mês.

Outra iniciativa que faz parte da Jornada é a criação, no site do Sindiupes, de um canal de denúncia sobre quebra de protocolos sanitários nas escolas. Ele estará disponível na próxima quarta-feira (17). As denúncias servirão de base para que o sindicato acione o Ministério Público Estadual (MPES).
Fonte:Seculo Diario.
Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here