Uma adolescente de apenas 14 anos, grávida de 6 meses deu à luz no último sábado, mas bebê não resistiu

A adolescente pediu para ir ao banheiro, lá a criança nasceu e caiu dentro do vaso sanitário. Após o ocorrido, o bebê foi retirado pelos funcionários do hospital, que correram para tentar salvar a vida do recém-nascido. “O que faltou em minha filha foi falta de atendimento médico”- disse a mãe da adolescente

Foto enviada pela senhora Lílian
C.DR

 

O caso aconteceu no último sábado dia 19, por volta das 9 horas da manhã, uma adolescente de apenas 14 anos, moradora do distrito de Joassuba, com 6 meses de gestação, chegou para dar entrada no hospital Fumatre de Ecoporanga acompanhada de sua mãe, a senhora Lílian, pois estava sentido contrações e fortes dores na barriga.

Após aguardar o atendimento por um bom tempo, o médico de plantão examinou a paciente e pediu para que a ambulância da rede cegonha à levasse para o Hospital Estadual de Barra de São Francisco. Nesse período de espera, por volta das 12:40h, a adolescente pediu para ir ao banheiro, foi quando a criança nasceu e caiu dentro do vaso sanitário.

Após o ocorrido, o bebê foi retirado pelos funcionários, que correram para tentar salvar a vida do recém-nascido, foram feitos todos os procedimentos, o coração do bebê estava batendo, a pediatra que não estava em seu horário de trabalho, foi chamada para atender a criança.

A luta foi grande para salvar a vida, por volta das 16:30h a criança foi levada para Barra de São Francisco acompanhada de duas enfermeiras, no caminho antes de dar entrada no hospital, a recém-nascida veio a óbito.

O site entrou em contato com um dos responsáveis do hospital, e o mesmo nos relatou que foram feitos todos os procedimentos para tentar salvar a vida do bebê, “após o médico examinar a paciente, e pedir a ambulância da rede cegonha, ligamos para o motorista imediatamente “- disse um funcionário, relatou ainda que no dia, o sinal da empresa de telefonia VIVO estava muito ruim, “quando R. nos pediu para ir no banheiro, e foi onde aconteceu o fato”.

A mãe da adolescente relatou ao nosso site que falou atendimento adequado para sua filha.
“O que faltou em minha filha foi falta de atendimento médico, eu cheguei com minha filha às 9 horas, ela gritava de dor, falei com o doutor que ela estava sentido muita dor, ele não fez o toque na minha filha, somente passou um gel na barriga dela e olhou se a criança estava viva ainda, ai deixei eles medicando ela e fui para cima conversar com o enfermeiro, ai logo o médico deu a receita, buscopan e uma na veia, e a doutora Elinelza que aplicou essa injeção nela, ai minha filha ficou no soro e observação, falei com eles que a dor estava continuando, mas eles falaram que ali era um ponto-socorro mas não podia fazer nada com milha filha e eu deveria pagar um táxi para levar minha filha para Barra de São Francisco”. disse a mãe da adolescente. 

A adolescente está em sua casa mas não passa bem. O caso está nas mãos do promotor de justiça.

Um acontecimento muito triste em Ecoporanga, uma criança antes mesmo de ver o sol nascer, paga o preço de um país totalmente desestruturado, onde os governantes falam muito e tem pouca ação, onde o sistema só funciona para alguns. Em épocas políticas aparecem todos prometendo vários investimentos na saúde, educação, segurança e outros, para conquistar seu voto, mas a realidade é esta que vemos, uma criança morta que apenas queria viver.

Fonte Site Barra.

 

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here