Veja como ajudar : Menina de Rio Bananal com síndrome rara aguarda transplante de medula óssea

Conheça a história dessa menina capixaba de apenas quatro anos de idade,  Mayara Beguem Bonfante, já é conhecida por muitos capixabas do norte do estado, especialmente pelos moradores de Rio Bananal, onde a menina reside com os pais, Deocir Bonfante e Patrícia Beguem. Mayara é portadora da Síndrome de Blackfan-Diamond, uma anemia que impede o corpo de produzir glóbulos vermelhos e que só pode ser curada por um transplante de medula óssea, conforme relata a mãe da menina.

A falta de um doador compatível vem prolongando o drama da família. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), as chances de o paciente encontrar um doador ideal são de 1 em cada 100 mil pessoas, em média. “Os médicos dizem que é como achar uma agulha no palheiro”, compara Patrícia. Ela conta que a filha recebe transfusão de sangue mensalmente para poder sobreviver, enquanto aguarda por uma possível doação.

Mayara entrou na lista de espera por um doador aos três meses de idade, quando foi diagnosticada com a doença. Na data desta edição, a menina estava com a mãe, em São Paulo, recebendo um acompanhamento especializado no Instituto de Tratamento do Câncer Infantil (ITACI). As viagens à capital paulista são feitas a cada três meses e, dessa vez, Mayara precisou fazer um exame de ressonância magnética. De acordo com Patrícia, as inúmeras transfusões acabaram gerando um excesso de ferro no organismo da menina, algo que pode prejudicar o funcionamento de órgãos como fígado e cora- ção. Mesmo diante da dificuldade de encontrar um doador, a família mantém as esperanças e conta com o apoio de novos doadores de diversas partes do Brasil.

O caso de Mayara reforça também a necessidade e a importância da doação de sangue regular para manter os estoques abastecidos. Os voluntários podem procurar o hemocentro mais próximo de suas casas.

Hemocentro de Linhares faz campanha

Empenhado na causa da pequena Mayara e de outras tantas pessoas que aguardam por uma doação de medula óssea, o Hemocentro de Linhares realiza, ao longo dessa semana, diversas ações de conscientização, a fim de reunir novos doadores e também celebrar Dia Nacional do Doador de Medula Óssea, comemorado no terceiro sábado do mês de setembro.

Até a próxima sextafeira (15), das 7h30 às 11h30, das 13h às 16h, e das 18h às 21h, a equipe do hemocentro estará da Faculdade Pitágoras de Linhares atuando em parceria com estudantes de enfermagem. De acordo com Renata Fonseca, chefe do núcleo de hemoterapia de Linhares, os voluntários que comparecerem à faculdade ou no próprio hemocentro serão solicitados a preencher uma ficha com informações pessoais e autorizar a retirada uma pequena quantidade de sangue (10ml).

Esses dados, bem como as características da medula, serão incluídos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME). Mais informações no site: redome.inca.gov.br – com informações do Jornal Correio do Estado.

Continua depois da Publicidade:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here